Confira o que fazer nessa época friorenta nos EUA

Não dá para ficar parado, senão você congela; fuja do topo do Empire State Building, é frio demais


O turismo é uma das atividades mais importantes de Nova Iorque, com mais de 40 milhões de turistas nacionais e internacionais que visitaram a cidade anualmente nos últimos cinco anos.
Os principais pontos turísticos incluem o Empire State Building, Estátua da Liberdade, Ellis Island, produções da Broadway, museus como o Metropolitan Museum of Art, espaços verdes tais como Central Park e o Washington Square Park, Rockefeller Center, Times Square e lojas de luxo ao longo da Quinta Avenida e da Avenida Madison.

Outros atrativos são os eventos como a Parada de Halloween em Greenwich Village, o Parada do Dia de Ação de Graças da Macy’s, o desfile do Dia de São Patrício, atividades sazonais como patinação no gelo no Central Park no inverno, o Festival de Cinema de Tribeca e apresentações gratuitas no Central Park no verão. Experiências especiais fora das áreas turísticas mais importantes da cidade incluem o Zoológico do Bronx, Coney Island e o Jardim Botânico de Nova Iorque.

Foto: Divulgação
Patinação no gelo em Nova York

Sob a neve, o principal parque de Nova York, o Central Park (Parque Central), localizado no centro de Manhattan, se transforma em uma das mais belas paisagens da cidade. Nova Iorque possui inúmeras áreas verdes espalhadas, especialmente ao longo de áreas de menor densidade como Staten Island. No total, são 113 km² de área dedicadas a mais de 1,7 mil parques e playgrounds.

O Central Park é na verdade composto por mais de cem parques menores, que no total possuem quatro quilômetros de comprimento e 800 metros de largura. Possui inúmeros campos de esportes, jardins, um lago, playgrounds e muita área verde disponível, além de um shopping center, um zoológico e um zoológico infantil.

O rinque de patinação Wollman Rink (que aparece no filme Esqueceram de Mim 2) fica a 5 minutos de caminhada a partir da entrada sul na W 59th Street com 6ª Avenida. O zoológico não para no inverno: é possível ver leões marinhos, pinguins e todas as 35 espécies que ficam tanto do lado de fora quando nas partes fechadas do zoo.

BRYANT PARK

No centro de Manhattan, é um parque bem menor e muito acolhedor com o grande gramado no centro que nos meses de inverno recebe uma… pista de patinação. Isso mesmo, aqui também é possível patinar em meio aos arranha-céus (no caso, o Empire State Building e a emblemática Public Library), em espaço mais tranquilo que o Central Park e o concorridíssimo rinque do Rockefeller Center e, o melhor, gratuitamente. O frio também não impede o funcionamento do carrossel.

PROSPECT PARK

Dos mesmos arquitetos que projetaram o Central Park, o Prospect Park fica do outro lado da Ponte do Brooklyn e perto de outras atrações do bairro hipster, como o estádio de basquete Barclays Center, casa do Brooklyn Nets. O local recebe também shows – vale a pena ficar de olho na agenda.

Além de pista de patinação, o Prospect Park rende um belo passeio a pé – sob neve, a clima é calmo e bucólico, com uma bela vista da linha de prédios de Manhattan. É possível chegar de metrô: desça nas estações Prospect Park, Parkside Avenue ou 15th Street/Prospect Park. Do centro de Manhattan, são cerca de 30 minutos pelos trilhos.

Para os amantes da arte

Nova York está recheada de museus

Reconhecido como um dos museus de arte moderna mais influentes do mundo, o MoMA tem um acervo amplo, com obras de artistas conhecidos, como Picasso e Van Gogh, mas muito espaço para mostras alternativas. O jardim de esculturas fica fechado nessa época, então se jogue nas exposições temporárias e filmes. Às sextas-feiras, entre 16h e 20h, a entrada é gratuita.

Foto: Divulgação
Nova York está repleta de museus

Vale emendar com um hambúrguer no Burger Joint, a cinco minutos a pé (você consegue). A lanchonete fica dentro do hotel cinco-estrelas Le Parker Meridien, atrás de uma cortina de veludo no hall. Lá dentro, um ambiente alternativo, com paredes pichadas e cardápio de papelão.

Para arte contemporânea, o Whitney tem um ótimo acervo, focado em obras norte-americanas. Só a arquitetura do prédio já vale o passeio.

Já o Frick é menos mainstream, mas tem obras de Rembrandt, Renoir e Goya que pertenciam ao magnata Henry Clay Frick, expostas em sua antiga residência, construída em 1914. É das poucas mansões remanescentes de Nova York (e bem em frente ao Central Park).

Os dois são uma só dica porque podem ser conhecidos em poucas horas, e ficam um bem próximo ao outro (20 minutos caminhando na calçada ao lado do Central Park), numa parte da Quinta Avenida conhecida como Museum Mile (ali está também o Metropolitan Museum of Art, o Met).

Uma paradinha gastronômica por ali é o J.G. Melon, que abriu as portas em 1972 – ali, o sanduíche vem sem frescura, acompanhado de ótimas batatas fritas. Fica a dez minutos do Frick Collection.

TRANSIT MUSEUM

A entrada é por uma estação de metrô desativada no Brooklyn. Ali, está preservada um pouco da história do transporte público na cidade. Além de antigas composições, há exibições temporárias – que podem incluir de fotos temáticas a réplicas de estações clássicas. Site: nytransitmuseum.org.

Delicie-se no paraíso das compras

As paradas para compras podem ser uma boa desculpa para se aquecer durante passeios a pé no inverno. A loja de brinquedos Dinosaur Hill, na 9th Street com 2nd Avenue, é um paraíso repleto de brinquedos artesanais de vários cantos do mundo.

Duas quadras ao sul na 2nd Avenue está a loja de toy art Toy Tokyo. O bairro é o alternativo East Village; a St. Marks Place, endereço de restaurantes pequenos e brechós malucos e históricos como Search & Destroy, está por ali.

DYLAN’S CANDY BAR

Na Union Square, no prédio que abrigou a Factory de Andy Warhol, a loja de doces é uma festa. Além das guloseimas – balas, pirulitos, chocolates, fudges de vários sabores e muito mais -, a decoração colorida e chamativa é outro atrativo. A unidade da 3rd Avenue (1011) tem também um café onde você pode almoçar em uma mesa em formato de cupcake gigante. Reserve: bit.ly/dylancafe.

Foto: Divulgação
DYLAN’S CANDY BAR

Em plena área de Lower Manhattan, que vem recebendo investimentos turísticos de todo tipo – como o Memorial 9/11 e o observatório One World que ocupa o terreno das antigas torres gêmeas – o shopping Westfield World Trade Center, abrigado dentro de uma escultura branca em formato de pomba da paz (é o que alega o arquiteto, o sempre polêmico Santiago Calatrava) reúne as marcas de sempre em ambiente com calefação: bit.ly/w_wtc.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!