Por que minha dieta não funciona?

Estudo revela que 10% das mulheres passam a vida toda fazendo dieta, nutricionista aponta as causas do “looping” sem fim do emagrece-engorda


Que jogue a primeira pedra quem nunca começou uma dieta e parou no meio do caminho ou se rendeu a uma dessas dietas drásticas e restritivas (e que também não trouxe grandes resultados!). Fazer regime é uma constante na vida de muitas mulheres. Segundo estudo divulgado por um laboratório farmacêutico internacional, o Omega Pharma, 10% das mulheres passam a vida toda fazendo dieta sem obter resultados satisfatórios.

Mas afinal, por que as dietas não funcionam como deveriam? São muitas as respostas, mas o fato é que grande parte delas está destinada ao fracasso, pois sugerem um cardápio de baixo índice calórico como única solução para o emagrecimento.

“O que funciona mesmo é mudar, definitivamente, a rotina diária e a alimentação. Mudar a relação com os alimentos e os hábitos é o que vai modificar, definitivamente, a saúde e o peso de quem deseja emagrecer”, explica a nutricionista funcional, Vanessa Albacete.

Foto: Arquivo_O Liberal
Acerte na dieta

A correria do dia a dia não pode servir de desculpa para burlar uma boa alimentação. Pular refeições importantes ou se render a produtos prontos ricos em sódio, gordura e açúcares são atitudes comuns durante o período de dietas, alerta Vanessa.

“Hoje em dia, existem fornecedores mais acessíveis de comida congelada que contam com refeições, lanches e snacks saudáveis e sucos verdes”, lembra a nutricionista que dá cinco dicas de como mudar hábitos alimentares e emagrecer com saúde sem se render a dietas radicais.

Faça funcionar

1. Reduza o consumo de carboidratos e alimentos industrializados
O carboidrato é um dos principais sabotadores das dietas. Embora seja importante fonte de energia para o corpo, se o consumo não for equilibrado (e queimado) com atividades físicas ele se torna o grande vilão do processo. Atenção ao rótulo dos lanchinhos e petiscos industrializados tidos como “saudáveis”: o low carb pode ter gordura em excesso e o produto “light” pode ser rico em sódio. Durante a rotina diária, a melhor estratégia é evitar o excesso de açúcares, pães, bebidas industrializadas (refrigerante, suco de caixinha, bebida alcoólica), arroz branco e farinhas.

2. Consuma fontes de gorduras vegetais
Alimentos como abacate, coco, cacau, castanhas, sementes e seus óleos não refinados promovem a saciedade da fome, são ricos em gorduras importantes para a saúde e auxiliam no emagrecimento e reestabelecimento do equilíbrio metabólico e hormonal.

3. Água, sono e exercícios
A água é essencial para as pessoas que estão de dieta e o ideal é tomar de dois a três litros por dia. Dormir bem contribui para o bom funcionamento do metabolismo, bem como praticar exercícios físicos que ajudam a reduzir o índice de gordura corporal e regula o sono. “Mas é preciso ter consciência que somente praticar atividade física, sem seguir uma alimentação apropriada, não é suficiente para perder peso ou medidas”, ressalta Vanessa.

4. Programe as refeições antes de sair de casa
Sair de casa sem programar as refeições do dia é a principal autossabotagem para quem quer comer melhor e perder peso. Inevitavelmente a pessoa terá que comer o que está disponível e não o que realmente deveria comer. Para emagrecer, a alimentação saudável e balanceada deve estar na lista de prioridades!

5. Procure um nutricionista
Cada organismo funciona de um jeito. O alimento que é bom para um pode não ser para outro – e, por isso, nem sempre a dieta que funcionou para a sua prima vai funcionar para você! “O ideal é procurar um especialista. Ele irá identificar rapidamente onde está o erro e montar uma alimentação focada no objetivo a ser alcançado, de acordo com o organismo e estilo de vida de cada pessoa”, conclui a nutricionista funcional, Vanessa Albacete.

Fonte: Vanessa Albacete, nutricionista funcional_Clínica Cecam

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter