Os poderes dos superalimentos

13 alimentos que, além de saborosos, fazem um bem danado à saúde e ajudam a prevenir doenças cardíacas, diabetes e câncer


Você é o que come. Então que tal ser “super” investindo nos alimentos certos? Beterraba, cebola, alho e gengibre são alguns nomes da lista dos “superalimentos”, capazes de contribuir para uma saúde de dar inveja e ainda ajudam a prevenir doenças como diabetes, câncer e doenças cardíacas, além de combater o mal humor. “Existem alguns alimentos que não devemos nos esquecer de consumi-los com frequência em nossa rotina. Eles são especiais por diversos motivos”, comenta a nutricionista Ilana Sestari Monte, que nos ajudou a montar uma lista com 13 “superalimentos”.

Vale lembrar que a quantidade ideal de consumo depende do plano alimentar e estilo de vida da pessoa, e que, apesar dos inúmeros benefícios, nenhum deles substitui o tratamento de certas doenças.

“Não existe milagre, o que existe é comer com equilíbrio e qualidade, mastigar devagar e optar por comida de verdade [que não sejam processados/industrializados]. Investir alguns minutos, por dia, planejando sua alimentação vale sua vida. Esse é grande segredo”, afirma a nutricionista.

Foto: Fotolia
Canela

Canela
Popular na Coréia, China e Rússia no combate ao diabetes graças ao aldeído cinamico (componente responsável pelo sabor e cheiro característicos da canela). Por causa dele, ela é um excelente antidiabético. A canela contribui ainda para boa digestão e no alívio de dores.

Foto: Fotolia
Alecrim

Alecrim
Muito usado como tempero, possui propriedades antioxidantes capazes de estabilizar ou desativar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células. Também contribui para a prevenção de doenças cardiovasculares, maior causa de morte no Brasil e no mundo. Estudos comprovam benefícios de seu uso na quimioprevenção e na terapia do câncer.

Cúrcuma
Também conhecida como açafrão da terra, é uma potente antioxidante, antimicrobiana, anti-inflamatória, antiviral, antifúngica e anticarcinogênica. Estudos indicam que a cúrcuma tem efeitos neuroprotetores, ou seja, protege e previne a inflamação e o dano oxidativo das células neurais, comuns às pessoas que sofrem de Doença de Alzheimer e de Parkinson. “Ela ainda traz alívio das dores em articulações e da colite”, diz a nutricionista Daniela Kokol.

Cacau
Possui polifenóis, como a catequina, que auxiliam no fortalecimento do sistema imunológico; reduzem o colesterol ruim (LDL) e aumenta o colesterol bom (HDL); reduz a pressão alta. Para usufruir desses benefícios, substitua o achocolatado por cacau em pó 100% (sem adição de açúcares) e o chocolatinho da sobremesa por chocolate amargo 70%. “Use-o para fazer panquecas, milkshakes ou dar mais sabor ao leite da manhã”, observa a nutricionista Ilana Monte.

Foto: Fotolia
Azeite

Azeite
Reduz a inflamação nas células, o que facilita a perda de peso, e contribui para o sistema circulatório; equilibra níveis hormonais e evita picos de glicose com a diminuição da liberação da insulina. Auxilia na absorção de vitaminas e mineiras. Previne doenças como câncer e diabetes, ajuda a controlar a fome e combate dores de cabeça.

Mel e/ou própolis
Ao contrário do que muitos pensam, o mel possui índice glicêmico menor que o do açúcar. Contém também fibras prebióticas, ou seja, traz benefício à saúde intestinal e reduz a intolerância a lactose. Própolis fortalece o sistema imunológico e funciona como antimicrobiana, antifúngica, antiprotozoária, antioxidante e antiviral; tem propriedade cicatrizante, reduz inchaços e alivia dores.

Foto: Fotolia
Abacate

Abacate
Fonte de gorduras boas, possui alta concentração de fibras e baixo índice glicêmico. Rico em ômega 9, 7, 6 e 3, o abacate ajuda a controlar os níveis de colesterol ruim, o estresse e doenças cardiovasculares; diminui a retenção de líquidos e contribui para a vitalidade da pele. É uma ótima opção de lanches ou ceia antes de dormir.

Foto: Fotolia
Café

Café
Alguns estudos comprovam a ação de proteção ao fígado. É também um estimulante e pode ser benéfico para pessoas que praticam atividades físicas ou pretendem perder peso (gordura). O ideal é consumir puro, sem açúcar e adoçante.

Foto: Fotolia
Frutas vermelhas

Frutas antioxidantes (vermelhas e roxas)
Açaí (puro), uva, cereja, morango, beterraba, amora, jabuticaba (casca), por exemplo, são frutas ricas em antioxidantes que diminuem os radicais livres e contribuem para melhor disposição física, eliminam toxinas do organismo e previnem doenças. Eles também protegem a saúde cerebral, cardíaca, circulatória e dos olhos. Devido à baixa carga glicêmica auxiliam também no emagrecimento.

Foto: Fotolia
Alho

Alho
Rico em potássio, vitaminas do complexo B, A e C, magnésio, ferro, cálcio, proteínas e fibras. Combate diversos tipos de câncer; tem poderes antibacteriano e antifúngico, além de ser um antibiótico natural. Pode ser utilizado como tempero para os mais diversos pratos, de legumes a carnes e saladas. O chá de alho é um daqueles “remédios” caseiros da vovó para amenizar tosse, inflamação nas vias aéreas e mal-estar.

Foto: Fotolia
Gengibre

Gengibre
Atua como analgésico e como anti-inflamatório natural; combate enxaquecas; dores causadas por artrite e dores musculares; atua na diminuição dos gases intestinais e no tratamento de gripes e resfriados.

Foto: Fotolia
Brócolis

Brócolis
“O brócolis, assim como o agrião, rúcula e outros vegetais de cor verde escura, é um ótimo aliado de quem sofre de enxaqueca”, diz Daniela Kokol. Além disso, atua na prevenção de outras doenças graves, como o AVC (acidente vascular cerebral) e o câncer. Seu alto teor de vitamina C contribui para a produção de colágeno, que mantém a pele saudável, firme e jovial. Você pode comê-lo na salada, misturado ao arroz ou ainda como aperitivo, cozido.

Foto: Fotolia
Cebola

Cebola
Acebola ajuda a diminuir a formação de coágulos no sangue e baixar, significativamente, os níveis de colesterol ruim (LDL). Possui propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, hormonais, anti-hemorrágicas e antialérgicas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!