Low carb ou low fat?

Antes de escolher um programa de dieta é importante saber qual o método ideal para cada organismo


O Verão chegou e com a estação mais quente do ano, chega também a preocupação de ter um corpo bonito. Para muita gente, esse é o momento ideal para começar dietas mirabolantes para tentar perder peso. Porém, antes de “fechar a boa” ou aderir a qualquer método de emagrecimento, a dica de Flavio Madruga, especialista em medicina esportiva, é fazer a dieta específica para cada tipo de corpo e metabolismo.

Foto: Creative Commons
A low carb consiste no aumento do consumo de proteínas e gorduras boas

Low carb x low fat
Segundo o especialista, uma dieta que teve seu auge nos anos 2000 e hoje é muito estudada e indicada é a low carb. Ela visa o emagrecimento saudável e o aumento de qualidade de vida por meio da diminuição na ingestão de carboidratos e o aumento do consumo de proteínas e gorduras boas. Enquanto isso, a dieta low fat restringe o consumo da gordura de origem animal, como carnes, manteiga, queijo e até o leite. De acordo com Flavio Madruga, esse tipo de dieta reduz os níveis de colesterol, mas não é eficaz na diminuição de peso e gordura localizada, devido à grande ingestão de carboidratos, que são armazenados em forma de gordura corporal.

Como emagrecer ingerindo gorduras
Primeiro de tudo: não são todos os tipos de gordura que estão liberadas na dieta low carb. “A gordura boa, a ingerida na dieta low carb, é a gordura saudável e não a que obstrui veias e artérias”, aponta o médico especialista em medicina esportiva. Segundo ele, cortar carboidratos simples como pães, massas, tudo que contenha farinha branca – normalmente alimentos relacionados à obesidade – ajuda o corpo a queimar a gordura em excesso. O ideal é investir em carboidrato com baixo índice glicêmico, como batata-doce, inhame e mandioca.

Comer de 3 em 3 horas emagrece?
De acordo com o médico, essa afirmação não passa de mito. “Na verdade, esse mito de comer de 3 em 3 horas, além de não auxiliar no emagrecimento, não sacia o organismo e acaba deixando a pessoa com mais fome durante todo o dia e aumenta as chances de que desenvolva uma compulsão alimentar”, afirma Madruga. O ideal é fazer uma alimentação completa, com boas fontes de gorduras, proteínas e vitaminas (dos vegetais) para se sentir saciado por mais tempo.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter