Dieta favorece a saúde, evita fadiga e previne o câncer

A proposta é reduzir o consumo de alimentos que geram carga ácida no organismo a fim de promover melhor qualidade de vida e perder peso


A dieta alcalina é baseada em alimentos que contribuem para o equilíbrio do organismo, ou seja, mantê-lo o mais alcalino possível, e reduzir a ingestão de alimentos que produzam carga ácida e, por consequência, deixam o pH do corpo mais ácido. Pouca gente sabe, mas o fator pH do organismo pode causar uma série de transtornos para a saúde quando em desequilíbrio. A acidez elevada do corpo, por exemplo, favorece o surgimento de úlceras, problemas de pele, artrite, osteoporose, fadiga e até mesmo depressão e câncer.

“O nosso organismo é criado para ser alcalino. O pH da maioria das nossas células e fluidos como o sangue, por exemplo, tem um valor ligeiramente alcalino. Assim como o nosso corpo tem mecanismos para regular a temperatura, ele faz o mesmo para tentar manter o valor de alcalinidade do sangue”, explica o doutor Theo Webert, que atua em nutrologia e qualidade de vida.

Segundo o médico, um dos fatores que determinam o pH do sangue é alimentação. “O nosso organismo transforma tudo aquilo que consumimos em energia. Mas ao alimento adequado pode regular o melhor funcionamento de nossas funções vitais”, acrescenta.

Foto: Divulgação
O fator pH do organismo pode causar uma série de transtornos para a saúde quando em desequilíbrio

A alimentação incorreta estimula a produção de ácidos e coloca em risco o equilíbrio do pH sanguíneo. Para colocar “ordem na casa”, o corpo faz uso de todo o cálcio disponível para eliminar os ácidos consumidos. “Se o organismo está constantemente utilizando o cálcio para eliminar os ácidos que consumimos, então futuramente surgirão os sintomas da osteoporose”, exemplifica. Sintomas desse desequilíbrio são sentidos logo após a ingestão desses alimentos: cansaço, sono após a refeição, dor de cabeça e ansiedade.

Vale lembrar que o pH do alimento nada tem a ver com seu sabor, ou seja, um limão, apesar do sabor ácido, produz carga alcalina no organismo. Já a carne animal, embora seu sabor seja mais aceitável pelo paladar humano, ela altera o pH do organismo para ácido.

São considerados ácidos todo alimento processado ou com excesso de química, entre os quais refrigerantes, pizza, açúcar e adoçantes, amendoim, queijo, alimentos com gordura, nata do leite, dentre outros.

Já alguns alimentos alcalinos e que fazem bem são o óleo de peixe, chá-verde, grãos integrais, vegetais e amêndoas, inhame, lentilha, melão e brócolis são alguns dos alimentos ricos em minerais alcalinos (magnésio, potássio, cálcio e sódio). Quando consumidos crus ou levemente cozidos, são ainda mais ricos em nutrientes. “A alimentação correta é a maior prevenção contra doenças”, completa Theo Webert, especialista em nutrologia.

Conheça alguns alimentos alcalinos, neutros e ácidos:

Altamente alcalinos
Água alcalina (pH 9.5), sal marinho, grama de cevada, aveia, grama de alfafa, pepino, couve, espinafre, salsa, brócolis, repolho, alga marinha, amêndoas cruas, limão, lima e toranja.

Muito alcalinos
Abacate, beterraba, pimentão, pimenta, repolho, berinjela, aipo, alho, gengibre, vagens, alface, sementes de mostarda, cebola, cebola roxa, rabanete, rúcula, tomate e sementes de soja orgânica.

Medianamente alcalinos
Alcachofra, aspargos, couve-flor, cenouras, cebolinha, abobrinha, alho-poró, batatas, ervilhas verdes, nabo (sueco), agrião, quinoa, lentilhas, tofu orgânico, ervas e especiarias, azeite de oliva, óleo de linhaça, óleo de abacate e óleo de coco.

Neutros / Pouco ácidos
Grão de bico, feijão, melão, uva-passa, tangerina, ameixa, cereja, melancia, leite de amêndoa, leite de soja orgânica, leite de gergelim, caju, nozes, avelãs, sementes de girassol, óleo de girassol e óleo de semente de uva.

Moderadamente ácidos
Sucos naturais, maionese caseira, manteiga, maça, damasco, banana, amora, mirtilo, uva, manga, laranja, pêssego, framboesa, arroz, aveia, pão de centeio, arroz selvagem, champignon (cogumelos), pipoca e massas.

Altamente ácidos
Café, bebida alcoólica, suco de fruta adoçado, chá-verde e chá-preto, chocolate, mel, marmelada, gelatina, mostarda, catchup, sal refinado, levedura, frango, carne vermelha, carne de porco, ovos, peixe de cativeiro, frutos do mar, queijos, leite animal, iogurte, açúcar e adoçante.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter