Posso incluir meu pet na ceia de Natal?

No período das festas cresce a procura com casos de problemas gastrointestinais; veja quais alimentos preparados nesta época os cães podem comer


Os animais de estimação são considerados membros da família e participam de suas comemorações. Com a aproximação do Natal e do Réveillon, surge a dúvida: posso dar as comidinhas da ceia para o meu pet? Afinal, é difícil resistir àquela cara de pidão. Mas cuidado, esse mimo pode render problemas de saúde. A boa notícia é que a indústria alimentícia vem desenvolvendo quitutes especiais para essas ocasiões, como panetones com flocos de carne, chocolates em formato de ossinhos e snacks com ingredientes típicos da ceia, como peru e lentilha. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o faturamento do setor em 2016 foi de R$ 18,9 bilhões, sendo o segmento Pet Food responsável pela maior fatia: 67,3%.

A veterinária Camila Coelho e Silva, sócia-proprietária da Clínica e Hospital 24h Cão.Com, afirma que no período das festas de final de ano cresce a procura com casos de problemas gastrointestinais. “Eles são causados principalmente pela ingestão de alimentos gordurosos, como as carnes, que causam inflamação e fermentação”, explica. Os sintomas mais comuns são vômito, diarreia e apatia.

A mudança na alimentação também podem desencadear problemas de pele e piorar o quadro naqueles animais que já têm alergias, alerta Camila, que é especialista em Dermatologia.

O ideal é não oferecer para seu pet nenhum alimento da ceia. “Se ele for acostumado a comer outros alimentos além da ração, pode dar, mas apenas os que estão na lista dos recomendados e em pequenas quantidades”, alerta a veterinária. De forma geral, deve-se evitar os muito gordurosos, com excesso de açúcar, temperos e sal.

Foto: Jhonatan Chicaroni
A mudança na alimentação também podem desencadear problemas de pele e piorar o quadro naqueles animais que já têm alergias

Proibidos

– Carnes gordurosas, muito temperadas ou salgadas.
– Uva passa, uva e carambola. Causam insuficiência renal em cães.
– Chocolate, que são altamente tóxicos para os animais por conter teobromina, substância presente no cacau.
– Doces em geral, como brigadeiros, panetones, bolos, tortas, sobremesas, sorvetes.
– Frutas com caroço, como pêssego, pois podem provocar engasgamento.
– Frutas secas e processadas, como nozes, castanhas, amêndoas, banana-passa, entre outras.
– Massas em geral, como macarrão e pães.
– Feijão, milho e lentilha, pois provocam o aumento na produção de gases e má digestão.

Liberados

– Carnes, mais magras, com pouco sal e tempero. A porção deve ser pequena, bem menor que a consumida pelo homem, proporcional ao tamanho do animal.
– Frutas, exceto as com caroço e as cítricas. Estão liberadas mamão, banana, maçã, morango e melancia.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter