Yamaha Fazer 250 fica melhor ao chegar à sua 4ª geração

Motocicleta ganha visual mais encorpado e começa a ser fabricada no Brasil


Todo produto tem três valores diferentes. Dois deles podem ser determinados objetivamente: o da etiqueta de preço e o da qualidade. Já o último, bem subjetivo, é o quanto o comprador acha que o produto vale. É o chamado “valor atribuído”, capaz de determinar sozinho o sucesso – ou o fracasso. Nos últimos tempos, a Yamaha tem conseguido equalizar estes três valores no Brasil.

A marca japonesa sempre ofereceu por aqui boas motocicletas a preços razoáveis, mas faltava fazer o mercado enxergar e valorizar estas características. De uns tempos para cá, no entanto, a marca vem conseguindo consolidar uma imagem mais coerente com sua história. Exatamente por isso, está indo na contramão do mercado de duas rodas.

Segundo os dados do setor, enquanto o mercado este ano encolheu 11,8%, a Yamaha cresceu 18%. Em setembro, conseguiu a maior participação da história de 46 anos de Brasil, com 15,2%. Mas a Yamaha quer mais. E aposta que a nova Fazer 250 vai ser fundamental para que a marca se mantenha em alta.

Foto: Divulgação
A Fazer 250 não é mais a mesma. Mudou o visual, mudou a posição de pilotagem e mudou o comportamento dinâmico

Freios ABS
Nesta, que é considerada a quarta geração do modelo, as mudanças foram bem aprofundadas. O modelo passa a vir de série com ABS nos freios, ganhou um novo chassi, novo design e passou por mudanças no mapeamento do motor de exatos 249,5 cc. O propulsor agora respira melhor, com tomadas maiores, filtro de ar de maior capacidade e fluxo de saída de gases mais liberada. O novo visual teve o objetivo de deixar a Fazer com um aspecto de moto maior e mais encorpada.

A expectativa da Yamaha é que as vendas da Fazer 250 cresçam substancialmente. A marca quer pular da atual média de 900 para cerca de 1.200 unidades por mês. A ideia, claro, é roubar um pedacinho do mercado da líder do segmento, a Honda CB 250 Twister, que mantém uma média de 2 mil emplacamentos mensais.

Para isso, será estratégico o preço de R$ 14.990, sem frete. Fica R$ 1 mil acima do praticado na geração anterior, que não tinha ABS, e R$ 750, ou 5%, abaixo do preço da rival, com o mesmo equipamento. Para melhorar ainda mais seu poder de fogo, a Yamaha está oferecendo para a Fazer quatro anos de garantia.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter