Volkswagen Virtus tem espaço e preço competitivo

Tecnologia caprichada é outra virtude do modelo que estreia nas concessionárias brasileiras


Foto: Eduardo Rocha/Carta Z Notícias
Os vincos horizontais nas laterais e a última bastante inclinada, finalizada em um discreto spoiler

A Volkswagen tem bons motivos para se mostrar otimista com a estreia mundial de seu sedã Virtus no mercado brasileiro, em fevereiro. O modelo tem linhas equilibradas, motores eficientes que dão boa dinâmica ao modelo e os preços estão bem alinhados com os rivais equivalentes – só que todos com menos tecnologia e já antigos no mercado. Os preços sem opcionais começam em R$ 59.990 na versão MSI, passam pelos R$ 73.490 da Comfortline e chegam aos R$ 79.990 da Highline.

Concorrentes como Honda City, Chevrolet Prisma e Cobalt e Hyundai HB20S têm preços equivalentes nas versões equivalentes em conteúdo e potência. Outra vantagem do sedã da Volkswagen é o tamanho. Embora seja classificado como compacto premium, suas dimensões o colocam exatamente entre os compactos e os médios do mercado – uma definição mais precisa seria médio-compacto.

Uma das preocupações da Volkswagen com o Virtus foi manter um alto nível de segurança pelo programa de avaliação de carros novos da América Latina, o Latin Ncap. Por isso, como no Polo, ele traz de série itens ainda não exigidos pela legislação, como cintos de três pontos e apoios de cabeça para todos os assentos, airbags laterais além dos frontais e sistemas de ancoragem de assento infantil. Com isso, alcançou cinco estrelas, com 32,56 pontos em 34 para adultos e 43 em 49 para crianças. A aposta é que os consumidores cada vez mais deem mais valor à questão de segurança – estimulados principalmente pela própria indústria.

Respeito
Com o Virtus, a Volkswagen está fazendo uma grande aposta no Brasil. Mesmo que por aqui o Dieselgate, que abalou a empresa na Europa e nos Estados Unidos, tenha sido ofuscado pelo varejão de escândalos produzidos localmente, a marca decidiu renovar sua imagem – a ponto de se referir a si mesma como “Nova Volkswagen”. Por sorte, manteve algumas boas características da “Antiga Volkswagen”, como o rigor na construção dos carros, o comportamento dinâmico e os motores eficientes. E o sedã Virtus é um bom exemplo de modelo que reúne elementos positivos dessas duas fases. O modelo tem linhas que não renegam o rígido esquadro da marca alemã, com ganhou alguns toques de esportividade inesperados.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!