Sedã-médio chega a décima geração

Com potência de 320 cv e visual esportivo exagerado, carro foi pensado para as pistas de corrida


O Honda Civic Type R é uma versão mais “nervosa” da décima geração do sedã-médio da marca japonesa. Beneficiado por toda a tecnologia oferecida pela Honda, o hot hatch é um esportivo “puro sangue”, muito eficaz e desenvolvido para ser utilizado em pistas: um capricho reservado para poucos. Com configuração de carroceria em quatro portas, ele oferece espaço adequado para quatro adultos, assim como bagageiro com capacidade de 639 litros. Mas, em se tratando de um veículo de tração dianteira eleito rei do Circuito de Nürburgring, aspectos como habitabilidade se tornam irrelevantes, mesmo sabendo que o Type R é capaz de fazer viagens familiares sem problemas.

Em se tratando do Civic Type R, a aparência exterior é um quesito que não pode deixar de ser citado. Agressivo, atrativo, ou, talvez, exagerado, são adjetivos que cabem perfeitamente para um desenho tão extremo. No entanto, a Honda garante que todos os elementos incorporados têm uma função real, começando, obviamente, pelo gigantesco aerofólio posterior que gera muita carga aerodinâmica. Além disso, tem a chamativa saída de escape tripla, cujo cano central é de menor diâmetro e tem função de ressonador – no modo “+R”, há uma sucção para melhorar o fluxo de saída dos tubos localizados nas extremidades. Na frente, o destaque vai para o splitter, para as grandes tomadas de ar centrais (que servem para resfriar intercooler e motor), e para o capô, que ajuda a dissipar o calor gerado pelo conjunto mecânico.

Foto: Divulgação
Na pista, o Type R se “agarra” ao asfalto e não o solta por nada, pois “crava as unhas” no piso de qualquer asfalto

Vermelho Por dentro, os assentos esportivos na cor vermelha entregam ótimos níveis de apoio lateral. O volante é forrado com couro e com pespontos na cor dos bancos, enquanto o painel é feito de material que imita fibra de carbono e a alavanca de marcha é de titânio. Sem dúvidas, a grande “preciosidade” está abaixo do capô. É o novo motor 2.0 litros turboalimentado de injeção direta (uma versão menos potente é utilizada no Accord de nova geração) que entrega 320 cv e 40,78 kgfm de torque desde 2.500 rpm. Esse propulsor é associado a uma transmissão manual de seis velocidades. Outros destaques são os modos de condução (Confort, Sport e +R), que modificam direção, rigidez de amortecedores, resposta do acelerador, rotações nas trocas de marcha e a atuação dos controles eletrônicos de estabilidade e tração.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!