Nissan diversifica a linha Kicks

Mudança fez da versão S manual do carro o SUV mais vendido do país durante o ano passado


A proposta da Nissan era chegar aos 5% de participação no mercado automotivo nacional até final do primeiro trimestre de 2017. Demorou exatamente um ano a mais que o planejado, mas a marca japonesa cumpriu o objetivo. Em março deste ano chegou a 5,51% de participação.

O principal responsável por essa façanha foi o SUV compacto Kicks, que chegou à liderança do segmento no mês passado, com 5.532 exemplares, à frente de Honda HR-V e Jeep Renegade. O modelo vem em uma crescente no mercado desde que foi lançado, em julho de 2016, para ser o carro-símbolo dos Jogos Olímpicos do Rio. Inicialmente era importado e tinha apenas a versão SL CVT disponível.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias
O Kicks mais barato se dá melhor que os mais caros, pois o motor 1.6 16V da versão S é o mesmo das superiores

Em abril do ano passado começou a ser produzido em Resende e com a nacionalização veio um aumento na oferta de configurações. E a versão que foi estratégica para o modelo chegar à liderança foi exatamente a mais simples, a S, que parte de R$ 72.990 quando equipada com câmbio manual de cinco marchas.

Por ser a mais simples, a variante S manual ostenta uma lista de itens de série bastante básica. Além de airbags duplos frontais e freios ABS, exigidos por lei, traz ar-condicionado, alarme perimétrico, bancos em tecidos, fixadores traseiros para cadeiras de crianças (Isofix), cinto de segurança de três pontos para todos os passageiros, rádio com entrada para MP3 player, conector USB e Bluetooth, trio elétrico, coluna de direção com ajuste de altura e profundidade e direção elétrica com volante multifuncional. Sem nenhum luxo, mas também sem grandes ausências de conteúdo.

O preço não chega a ser o melhor da categoria, mas também não se distancia tanto da concorrência: são R$ 72.990 iniciais. Por R$ 74.190, ou R$ 1.200 a mais, é possível adicionar controles de tração e estabilidade e assistente de partida em rampa, no chamado Pack Safety. A versão S pode receber ainda um câmbio CVT, o que eleva o valor em mais R$ 6.800, para R$ 80.990. A versão S sai sempre de fábrica com rodas de aço aro 16 e calotas.

Motorização

Uma vantagem é que a versão de entrada traz exatamente o mesmo motor das outras configurações mais caras – com tudo que tem disponível, o Kicks pode chegar a R$ 98.890. Trata-se de um 1.6 16V capaz de entregar 114 cv de potência máxima a 5.600 rpm e torque de 15,5 kgfm a 4 mil rpm. A transmissão tem cinco velocidades e, com o motorista no controle das trocas de marchas, o zero a 100 km/h é cumprido com 1 segundo de vantagem em relação às configurações com câmbio CVT, ou seja, em 11 segundos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!