Equinox Premier abusa do vigor na briga entre os SUVs

Renovação da linha ao qual o modelo pertence ajudou a impulsionar as vendas do utilitário nos últimos meses


A trajetória da Chevrolet nos últimos anos no Brasil chega a ser curiosa. O mercado inteiro está, há algum tempo, com suas principais atenções voltadas para a categorias de SUVs. Mas a marca estadunidense tratou de renovar sua linha quase que inteiramente, com novas gerações e face-lifts substanciais – ficaram de fora apenas a minivan Spin e a picape compacta Montana.

Tornou-se líder de vendas com o sucesso, principalmente, do hatch Onix e do sedã Prisma e, só então, gradativamente, apostou nos utilitários esportivos. Após renovar Tracker e Trailblazer, em outubro do ano passado passou a importar o Equinox, que ocupou a lacuna deixada pelo Captiva e chegou disposto a encarar os rivais médios.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias
As linhas do Equinox estão em equilíbrio com a assinatura visual dos outros modelos recentes vendidos no Brasil

É claro que aumentar seus emplacamentos cai bem, mas nem é essa a principal função do novo carro. O Equinox é, na verdade, uma excelente vitrine tecnológica para a fabricante – principalmente em sua variante mais completa, a Premier.

E chegou a emplacar média de 450 unidades mensais nos dois meses de vendas cheias de 2017. Coincidência ou não, a Chevrolet ainda comercializou mais de 2 mil unidades do Tracker em dezembro, ou seja, o dobro da média mensal do ano do SUV compacto.

O Equinox é produzido em San Luis Potosí, no México. Inicialmente, veio apenas na versão mais completa, reforçando o potencial tecnológico do carro e nivelado na faixa de preço de versões superiores de modelos concorrentes.

Hoje, o preço é R$ 155.990, mas sem qualquer opcional disponível, exceto pelas cores metálicas ou perolizadas. Esse valor inclui equipamentos como sistema de estacionamento semiautomático e até um sistema de tração integral acionado pelo painel – sem habilitá-lo, o Equinox roda com tração dianteira.

FORÇA

O principal diferencial do Equinox em relação aos concorrentes está no trem de força, que é comum nas duas versões disponíveis – a de entrada LT foi disponibilizada um mês depois de seu lançamento, no final de novembro.

Trata-se de um motor 2.0 turbo de 262 cv, gerenciado por um câmbio automático de nove marchas. Suspensão independente nas rodas traseiras, estruturas de subchassis e tecnologias de controle de estabilidade e de tração também estão no pacote.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!