Ducati promete vender a Superleggera no Brasil

Motocicleta deve custar algo em torno de R$ 550 mil e só três unidades serão disponibilizadas no mercado brasileiro


Sempre dá para ir um pouco mais acima. Entre os automóveis, algumas marcas consagradas, como Porsche, Ferrari e McLaren, fizeram carros com potência, tecnologia de construção e preço completamente fora da curva de mercado.

O segmento foi definido como de hiperesportivos. Coisa semelhante começa a acontecer nas duas rodas. Primeiro com a Kawasaki, que passou a oferecer a H2R, uma motocicleta com compressor mecânico que rende até 323 cv. No Brasil ela sai por nada menos que R$ 357 mil.

Foto: Divulgação
Moto é um atestado de riqueza, já que poucos fãs de motocicletas têm meio milhão para comprá-la

Agora, a Ducati inicia as reservas para a 1299 Superleggera. Considerada uma das motocicletas mais exclusivas já fabricadas em todo o mundo, é a primeira equipada de fábrica com quadro, braço oscilante, subquadro e rodas em fibra de carbono.

Serão apenas 500 exemplares disponíveis para a venda em todo o planeta. Para o Brasil, foram reservadas três unidades. Trata-se da motocicleta mais cara à venda no país atualmente: são nada módicos R$ 550 mil para ter uma na garagem.

Riqueza

Claro que o principal atrativo da 1299 Superleggera é a exclusividade: ela funciona como uma espécie de Atestado de Riqueza. De qualquer forma, a marca tenta justificar o valor exorbitante pela quantidade de tecnologias inserida na motocicleta.

A começar pelo trem de força, encabeçado por um motor de dois cilindros e 1199 cc capaz de entregar 215 cv de potência em 11 mil rpm e 14,9 kgfm de torque máximo a 9 mil giros. Segundo a Ducati, este é o motor bicilíndrico mais potente já produzido em todo o mundo.

As três unidades que serão importadas para o Brasil têm entrega prevista para o segundo semestre. A Ducati reserva ainda alguns “mimos” para os compradores. Entre eles, está um macacão Ducati Corse. Para reservar uma das motos, é preciso procurar uma das concessionárias da marca no Brasil e pagar um sinal de 10% do valor, ou seja, R$ 55 mil.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter