Energia alternativa é saída para economizar

Uma das maneiras de reduzir o valor da conta de luz é trocando a energia elétrica comum pela energia gerada pelos painéis solares


Encontrar meios de baratear custos e reduzir o orçamento familiar é uma estratégia cada vez mais adotada nos lares brasileiros. Uma das maneiras de reduzir o valor da conta de luz, além de ajudar a conservar os bens naturais, é trocando a energia elétrica comum pela energia gerada pelos painéis solares, ou de fotovoltagem, como explica Leandro Godoy, da Automatize Soluções. “Essas placas captam a luz do sol e convertem em energia elétrica, que pode ser usada em todos os ambientes da casa [televisores, aparelhos de som, computadores, lâmpadas…] Assim, o cliente reduz a conta de energia, pagando, muitas vezes, apenas o valor mínimo da concessionária”, esclarece Godoy.

Como instalar?
De acordo com Leandro Godoy, da Automatize Soluções, a quantidade de painéis instalados e o valor do investimento varia de acordo com a necessidade de energia da residência. No entanto, o processo é sempre o mesmo: a obra precisa ser aprovada pela concessionária distribuidora. “A instalação só é feita após a aprovação do projeto”, disse. As placas são colocadas no telhado e não é necessário alterar a estrutura da casa. Depois de instalado e com a verificação da distribuidora de energia, o sistema já pode ser utilizado.

Armazenando energia
Com o sistema operando, a energia solar é transformada em elétrica e o que for excedente (ou seja, o que for produzido, mas não consumido pelo cliente), se torna um crédito. “A energia excedente é acumulada. Se, num mês seguinte, o cliente gastar mais do que o gerado, esse ‘crédito’ é utilizado”, explicou Leandro Godoy. Cada distribuidora tem processos diferentes para conectar o sistema de energia solar na rede elétrica, mas todos de acordo com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) 482/2012 e a sua revisão 687/2015. Portanto, não depende das distribuidoras. O relógio de luz é substituído por um relógio “bidirecional”, que mede a energia consumida da rede elétrica e, também, a gerada em excesso pelo sistema fotovoltaico.

Foto: Automatize Soluções_Divulgação
Cada distribuidora tem processos diferentes para conectar o sistema de energia solar na rede elétrica, mas todos de acordo com a Aneel

Dicas do profissional

Quanto tempo dura o processo de instalação?
A instalação é simples e dura de dois a três dias. Não é necessário realizar nenhuma alteração estrutural na casa, pois o sistema de energia fotovoltaica utiliza os mesmos cabos de alimentação já existentes e os painéis são colocados no telhado. O projeto como um todo, no entanto, pode demorar 60 dias, devido ao prazo de aprovação da concessionária.

Como deve ser feita a manutenção dos painéis?
A manutenção também é simples e deve ser feita, no mínimo, a cada dois meses. É só lavar os painéis com água, sem necessidade de utilizar produtos químicos. Caso a limpeza deixe de ser feita, os painéis podem perder eficiência.

Qual o custo-benefício do sistema fotovoltaico?
Normalmente, o equipamento se paga entre quatro a cinco anos. O valor da instalação vai depender do tamanho da residência e do consumo. Todas as casas podem utilizar o sistema, mas o conselho é instalar em residências com consumo mais elevado. Quem não paga tão caro na conta de energia, pode não ver muita vantagem. Mas para quem paga mais caro, o interesse é bem maior. É preciso analisar os custos.

Além da economia, quais outras vantagens desse sistema?
O cliente não vai precisar mais se preocupar com aumentos no valor da tarifa de energia elétrica, além de ser um equipamento ecologicamente correto, afinal, não utiliza de bens naturais, e sim da luz do sol, que é um tipo de energia limpa. O equipamento tem uma durabilidade de mais de 25 anos, ou seja, você faz a instalação e ele vai durar muito tempo. Além disso, ele valoriza o imóvel. Residências que têm o equipamento de fotovoltagem valem mais no mercado diante aquelas que não possuem o sistema.

Fonte: Leandro Godoy_ Automatize Soluções

Foto: Automatize Soluções_Divulgação
A quantidade de painéis depende do tamanho da residência e da faixa de consumo do cliente

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter