Viagens longas exigem cuidados com a saúde

Pequenas atitudes, como planejar as paradas, reduzem os riscos de trombose e até infecções durante as longas viagens


“Você já foi ao banheiro?” Essa é a pergunta chave para toda pessoa que resolve embarcar em uma longa viagem. Um detalhe que pode economizar paradas no meio do caminho – ou “descuidos” no banheiro do ônibus ou do avião –, evitar infecções urinárias e mesmo salvar a sua vida em caso de acidente.

“Em casos de acidentes, ao estar cheia de urina, a bexiga absorve o impacto da batida e pode haver ruptura do órgão com maior facilidade”, explica a clínica geral Rossana Maria Russo Funari. Quanto às infecções, é muito importante não ficar mais de três horas sem ir ao banheiro; portanto, planeje as paradas.

Foto: Fotolia
Sugestão para evitar problemas é alongar as pernas e braços e fazer uma pequena caminhada

Elas são essenciais para evitar outro problema, a trombose nos membros inferiores. O baixo fluxo sanguíneo e a dificuldade do retorno do sangue pelas veias favorecem a formação de coágulos que podem entupir os vasos das pernas e coxas, causando dor e inchaço. O risco aumenta quando o coágulo se desprende e se movimenta pela corrente sanguínea, podendo causar lesões graves no cérebro, pulmões e coração. Idosos, obesos, portadores de doenças crônicas ou quem já teve episódios de trombose no passado são mais suscetíveis a problemas de circulação.

A sugestão da médica é alongar as pernas e braços e fazer uma pequena caminhada a cada duas horas. O mesmo vale para aqueles que viajam de ônibus ou avião. As caminhadas ainda ajudam evitar câimbras, inchaços e dores articulares que podem durar mesmo depois do término da viagem. “Para quem se encontra imobilizado com gesso ou tala nos membros inferiores ou superiores, é recomendável, em alguns casos, tomar anticoagulantes antes da viagem”, reforça a médica. Outra dica é tentar mudar de posição sempre que possível e apoiar o gesso em almofadas.

Longas viagens também prejudicam a coluna. Nesta situação, é fundamental manter as costas sempre retas e evitar ficar com o pescoço curvado, principalmente se estiver lendo ou usando o celular, tablet ou notebook. Para evitar dores futuras, a dica é apoiá-los em uma almofada ou a mesinha. “E sempre tentar fazer rotações do pescoço de tempos e tempos para relaxar a musculatura e evitar lesões”, comenta Rossana.

Enjoos também ocorrem em algumas pessoas que apresentam sensibilidade do labirinto a movimentações do ambiente e a alterações de postura. O mal estar piora se houver muito “sacolejo” como curvas, buracos ou balanços do veículo. O recomendado nestes casos é manter o olhar em um ponto fixo, tentar não balançar muito a cabeça (as almofadas de pescoço podem ser de grande ajuda aqui) e tomar medicamento anti-enjoo (sempre receitado pelo médico), inclusive um dia antes da viagem.

OUVIDO ENTUPIDO
A sensação de ouvido entupido incomoda viajantes de qualquer idade, mas as crianças tendem a chorar mais, ficar irritadiças e tirar qualquer um do sério. “Às vezes, dar uma mamadeira, água ou suco melhora essa sensação de entupimento, pois o movimento da deglutição tende a diminuir um pouco a pressão dentro do ouvido”, diz a especialista. Caso a criança esteja resfriada, com gripe ou com o nariz entupido o melhor a fazer é adiar a viagem em alguns dias, pois a sensação durante a viagem pode piorar muito, principalmente durante o vôo.

Consultoria: Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos