Já ouviu falar na doença do ‘olho preguiçoso’?

Geralmente surge na infância, em um ou nos dois os olhos, e pode causar perda irreversível da visão


A ambliopia, conhecida popularmente pelo termo “olho preguiçoso”, é uma condição visual que leva à diminuição da acuidade visual, em um ou em ambos os olhos. Em geral, se desenvolve na infância e em quase metade dos casos é causada pelo estrabismo.

Para entender a ambliopia é preciso conhecer o conceito da visão binocular. De acordo com a oftalmopediatra Marcela Barreira, depois que a imagem é captada pela retina, ela é enviada ao cérebro por meio do nervo óptico. “São enviadas duas imagens, porém o cérebro tem a capacidade de fundi-las em uma única. Essa é a visão binocular, que permite enxergar um campo visual maior e dá a noção de profundidade. Ela é fundamental, por exemplo, para vermos as imagens em 3D. Porém, algumas condições visuais que surgem na infância podem causar um conflito na fusão das imagens pelo cérebro, levando ao desenvolvimento da ambliopia. Quando a criança apresenta estrabismo, por exemplo, o cérebro recebe dois estímulos visuais diferentes e escolhe a melhor imagem”, explica a médica.

Foto: Fotolia
Dificilmente a criança irá se queixar de um problema ocular nos primeiros anos de vida

“Caso essa supressão das imagens pelo cérebro aconteça por tempo prolongado, durante o período considerado crítico para o desenvolvimento visual, que é por volta dos dois anos de idade, e que se completa por volta dos sete, há a possibilidade de ocorrer supressão irreversível, ou seja, o cérebro irá continuamente favorecer o olho com a melhor visão, reduzindo a capacidade visual do olho afetado”, afirma Marcela.

Padovani Especial Pet – BC.1
Liberal Motors – BC

Segundo a oftalmopediatra, dificilmente a criança irá se queixar de um problema ocular nos primeiros anos de vida. “Por isso, a consulta com um especialista, ainda no primeiro ano de vida, é fundamental para detectar qualquer condição que possa levar ao desenvolvimento da ambliopia. Pais de crianças estrábicas e com graus altos de erros refrativos precisam fazer um acompanhamento regular com o oftalmopediatra”, explica.

COMO TRATAR
Antes dos cinco ou sete anos de idade, o tratamento da ambliopia costuma ter resultados mais eficazes, porém quanto mais precoce, melhor e mais rápida é a resposta ao tratamento. A terapêutica mais conhecida é o uso do tampão no olho dominante, ou seja, no olho com a melhor capacidade visual. Com isso, o cérebro é forçado a utilizar a visão do olho que apresenta menor acuidade. Esse tratamento é indicado para os casos de estrabismo.

Para as crianças com erros refrativos, o tratamento pode variar, desde o uso de óculos para correção dos graus, assim como o uso do tampão em conjunto com as lentes. Em todos os casos, o acompanhamento deve ser regular.

Fonte: www.neurokinder.com.br