Produzido por brasileiros, ‘Dandara’ chega ao PS4, XboxOne e Switch nesta terça

Criado pelo estúdio mineiro Long Hat House, Dandara segue o estilo 'Metroidvania' de plataforma 2D


Depois de dois anos de produção, o game Dandara chega aos consoles PlayStation 4, Nintendo Switch e Xbox One, além das plataformas iOS e Android, nesta terça-feira (6). Criado pelo estúdio brasileiro Long Hat House (de Belo Horizonte/MG), em parceria com a publisher Raw Fury, o jogo foi produzido por uma equipe de apenas quatro pessoas (os desenvolvedores João Brant e Lucas Mattos, o compositor ThommazK e o diretor de arte Victor L).

Dandara tem tudo para agradar os fãs dos games em 2D, principalmente para os jogadores que sentem falta de produções de ação, no melhor estilo metroidvania (um sub-gênero dos videogames, inspirado nos conceitos de jogabilidade das séries Metroid e Castlevania). A história conta a história de Dandara, que precisa lutar contra o vilão Eldar, um homem opressor que pretende dominar o universo ficcional, cavernoso e anti-gravitacional de Sault.

Foto: Divulgação
Dandara é inspirada em Dandara dos Palmares
Foto: Divulgação
Dandara precisa se agarrar às paredes para seguir seu caminho

Segundo o compositor do game, o estúdio estudou referências até chegar ao tema da escravidão e a Dandara dos Palmares. “Dandara dos Palmares foi uma escrava fugitiva trazida para o Brasil para fazer parte do Quilombo dos Palmares, onde foi companheira do Zumbi dos Palmares. As lendas tratam Dandara como uma estrategista que também lutava no fronte de batalha. Daí a inspiração da personagem”, disse, em entrevista ao site IGN Brasil.

O foco da equipe, no entanto, foi para o gameplay, criando uma jogabilidade única e desafiadora aos gamers. Dandara não caminha pelas cavernas de Sault como uma protagonista qualquer. Ao invés disso, ela precisa saltar e rebater entre as paredes para avançar entre os setores, enquanto desvia de obstáculos e enfrenta inimigos. Além da jogabilidade, o que também chama a atenção em Dandara são seus gráficos e trilhas sonoras, que remetem aos games da geração 8bits.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!