Comissários descartam punição e absolvem Vettel, Raikkonen e Verstappen

Após investigarem o acidente no início do GP de Cingapura de Fórmula 1, os comissários de prova descartaram qualquer punição…


Após investigarem o acidente no início do GP de Cingapura de Fórmula 1, os comissários de prova descartaram qualquer punição aos pilotos Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, da Ferrari, e Max Verstappen, da Red Bull, neste domingo. O trio se chocou logo na largada e abandonou a corrida noturna de forma precoce.

A batida foi decisiva não somente para o resultado da corrida, que acabou com Lewis Hamilton no alto do pódio, mas também para o campeonato. Com o acidente e o consequente abandono de Vettel, Hamilton pulou da quinta para a primeira colocação da corrida. E o triunfo fez o inglês aumentar de três para 28 pontos a liderança sobre Vettel no Mundial de Pilotos.

O acidente na largada aconteceu sob chuva e na encharcada pista de rua de Cingapura. O choque aconteceu quando Raikkonen tentava passar Verstappen por dentro, enquanto Vettel confirmava a liderança, ao largar na pole position. O holandês ficou num “sanduíche” entre os dois carros da Ferrari e acabou fazendo uma leve mudança no seu carro, em direção ao finlandês, o que acabou levando ao choque triplo.

A batida ainda sobrou para Fernando Alonso, que acabou abandonando a corrida em seguida, com sua McLaren avariada. Outros carros, como o de Daniel Ricciardo, também foram atingidos. Mas o piloto da Red Bull conseguiu seguir na prova. O caso foi investigado pelos comissários somente ao fim da corrida. E a decisão foi de que o choque não teve culpados.

Em sua defesa, Verstappen afirmou que foi “espremido” pelos dois carros da Ferrari. “Ele [Vettel] começou a me espremer. Eu tentei segurar porque não vi Kimi vindo, mas os pneus traseiros são mais largos que os da frente. Então, eu não consegui segurar mais o carro”, disse o holandês.

O piloto da Red Bull criticou a postura de Vettel e até deu um “puxão de orelha” no alemão. “Talvez ele não tenha visto que Kimi estava na minha esquerda, mas isso não é uma desculpa. Se você está brigando pelo título, você não deve assumir este tipo de risco de espremer alguém assim”, reclamou.

Verstappen culpou o alemão pelo acidente. “Não acho que foi um incidente de corrida. No final das contas, ele acertou três carros e eu estava no meio, sem fazer nada de errado. Eu só estava tentando fazer uma largada limpa”, declarou.

Mais contido, Vettel evitou polemizar. “Eu não vi muita coisa. Eu vi Max e a próxima coisa que vi foi obviamente Kimi me atingindo na lateral e Max por perto”, disse o vice-líder do campeonato.

Raikkonen, por sua vez, minimizou o episódio. “Eu não acho que poderia ter feito alguma coisa para evitar. Tive uma boa largada, mas fui atingido e nossa corrida acabou ali mesmo. É uma pena. Seja qual for a causa do acidente não vai mudar o resultado”, declarou o finlandês.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter