Guilherme Clezar pede desculpas por ato discriminatório em jogo da Copa Davis

O tenista Guilherme Clezar pediu desculpas neste sábado (noite desta sexta-feira no Brasil) pelo ato considerado discriminatório contra a arbitragem…


O tenista Guilherme Clezar pediu desculpas neste sábado (noite desta sexta-feira no Brasil) pelo ato considerado discriminatório contra a arbitragem asiática no duelo entre Japão e Brasil, pelos playoffs do Grupo Mundial da Copa Davis, no dia anterior, em Osaka. O brasileiro foi alvo de diversas críticas nas redes sociais nas últimas 24 horas e corre o risco de sofrer punição pela Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês).

Durante o jogo contra Yuichi Sugita, na abertura da série melhor de cinco jogos, o brasileiro esticou os olhos com os dedos como forma de criticar a marcação errada de um árbitro de linha. A bola havia atingido a linha na jogada, como confirmou o desafio eletrônico, mas o juiz marcara bola fora. O gesto de Guilherme Clezar é visto como discriminatório às nações asiáticas.

A cena viralizou nas redes sociais ao longo desta sexta-feira, no Brasil, e o tenista foi alvo de muitas críticas. Neste sábado, pelo horário japonês, Guilherme Clezar se disse surpreendido com a repercussão do gesto e pediu desculpas em seu perfil no Instagram. Ao mesmo tempo, a Confederação Brasileira de Tênis (CBT) emitiu nota para negar atitude preconceituosa do atleta, “ressaltando seu absoluto respeito a todo o ser humano, independentemente de raça, cor ou credo”.

“Ao acordar aqui no Japão, tomei conhecimento de que o gesto que fiz no jogo de ontem (sexta-feira) foi interpretado de forma equivocada. Quero aqui ressaltar que nunca, jamais tive a menor intenção de ser agressivo, racista, preconceituoso ou qualquer coisa do tipo como povo asiático”, escreveu Guilherme Clezar, nas redes sociais.

“Mesmo não tendo intenção preconceituosa, reconheço que o gesto feito não condiz com atitudes de respeito, zelo, solidariedade, emoção e tantas outras coisas que o esporte transmite para nós. Quem convive comigo sabe o quanto sou respeitoso e prezo pela educação, bons modos e zelo nas relações humanas. Por isso venho expressar meu arrependimento e pedir minhas mais sinceras desculpas”, disse o atual 244.º do ranking da ATP.

O tenista disse ainda respeitar o povo asiático e prometeu “aprender” com o episódio. “Prometo que aprenderei com isso e jamais tomarei qualquer atitude assim mais uma vez. Espero, do fundo do coração, que este ato errado de minha parte seja perdoado”, declarou Guilherme Clezar, que foi derrotado por Yuichi Sugita por 3 sets a 0.

O pedido de desculpas, porém, não deve evitar uma possível punição ao atleta. Em contato com a reportagem do Estado, a ITF avisou que vai avaliar as imagens da partida e não descartou uma sanção. Uma reunião entre a entidade e a equipe brasileira em Osaka deve acontecer neste sábado para esclarecer a situação.

Guilherme Clezar, de 24 anos, foi convocado de última hora para compor o time brasileiro neste confronto. Atual número 5 do Brasil, ele substituiu Thomaz Bellucci, vetado por problema físico. O capitão João Zwetsch chegou a chamar Rogério Dutra Silva, atual número 1 do País, mas o tenista descartou a sua participação por ter sido preterido na primeira convocação. Além de Clezar, o Brasil conta com Thiago Monteiro nos jogos de simples.

Na abertura do duelo, os dois foram derrotados pelos adversários japoneses. Neste sábado, o Brasil tem grande chance de somar o seu primeiro ponto no confronto, vencido parcialmente pelos anfitriões por 2 a 0. Marcelo Melo e Bruno Soares são os favoritos contra Ben McLachlan e Yasutaka Uchiyama.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter