Volta da França de 2017 passará por todas as cadeias montanhosas do país

A 113ª edição da mais tradicional prova do ciclismo no mundo terá duração de três semanas


Todos as cinco cadeias montanhosas da França continental estarão presentes na edição de 2017 da Volta da França, que teve o seu percurso detalhado nesta terça-feira. O evento terá duração de três semanas e parece estar de acordo com os pontos fortes do atual campeão, o britânico Chris Froome, e seu rival colombiano Nairo Quintana.

Para a 113ª edição da mais tradicional prova do ciclismo no mundo, os organizadores aproveitaram a geografia da França para definir o Col D’Izoard no alto dos Alpes como ponto de chegada da 18ª etapa da competição, que deverá ser determinante para a definição do vencedor.

Antes disso, no palco do 12º estágio, nos Pirineus, a Volta da França subirá para a estação de esqui Peyragudes onde trechos do filme de James Bond “O Amanhã Nunca Morre” foram gravados em 1997.

Desde o seu início em 1º de julho em Dusseldorf, na Alemanha, até o final no dia 23 na Champs-Elysées, em Paris, a rota de 3.516 quilômetros passará pelos Vosges, Jura, Maciço Central, Pirineus e Alpes. Desde a edição de 1992, a Volta da França não passava pelas cinco cadeias montanhosas.

As subidas mais difíceis serão um pouco menores no próximo ano: 23 no total, em comparação com as 28 deste ano e as 25 de 2015 e 2014. Mas elas estarão espalhadas por um período de 14 dias, em vez de se concentrar na passagem pelos Alpes e Pirineus.

O percurso prevê a realização de dois contrarrelógios individuais, sendo o primeiro na abertura, em Dussseldorf, com 13 quilômetros, e a outra no penúltimo dia, em Marselha, de 23km, antes da chegada a Paris.

A rota através da capital vai destacar os locais que poderiam ser usados para eventos olímpicos se a candidatura de Paris vencer a disputa para sediar os Jogos de 2024.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter