Em 3º no grid, Lewis Hamilton elogia Vettel e diz que fez o possível em treino

Muito perto de conseguir o seu tetracampeonato mundial na Fórmula 1, o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, vai largar no…


Muito perto de conseguir o seu tetracampeonato mundial na Fórmula 1, o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, vai largar no GP do México, neste domingo, da terceira colocação. Está atrás do alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, seu concorrente ao título, que sairá na pole, e do holandês Max Verstappen, da Red Bull, em segundo, em uma pista com poucos pontos de ultrapassagens.

Um quinto lugar, independente de qual posição Vettel chegará, será suficiente para Hamilton ser campeão. Mas o inglês não quer saber de um resultado que não seja a vitória. “Vou tentar ganhar a corrida, como sempre faço. No meu método normal, não arriscou muito de qualquer jeito. Vocês não me veem me envolvendo em toques com outros pilotos, então não muda nada”.

Sobre o seu desempenho no treino oficial de classificação, o piloto da Mercedes reconheceu que está tendo um carro ótimo neste final de semana. “Dei tudo o que eu pude. Acho que a última volta poderia ter sido alguns décimos mais rápida, mas não foi o bastante. O Vettel foi ótimo hoje (sábado). Espero ter ao menos uma batalha com um deles (Vettel e Verstappen”, disse Lewis Hamilton. “Espero que na corrida sejamos melhores que na classificação. Fizemos um bom trabalho, espero que amanhã (domingo) estejamos na briga”.

POLÊMICA – Assim como aconteceu no GP dos Estados Unidos, na semana passada, Verstappen se envolveu em uma polêmica no México. Na corrida em Austin, o holandês excedeu os limites da pista e foi punido pelos comissários, deixando assim o seu lugar no pódio. Neste sábado, o problema foi com o finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, no treino oficial de classificação.

Ainda em volta de aquecimento no Q3 – a terceira e última parte do treino -, Verstappen ficou à esquerda da pista na saída da curva 12, enquanto que o finlandês acelerava em sua volta rápida. Bottas quase bateu no rival, mas conseguiu desviar para a direita, porém perdendo o tempo de frenagem na curva 13. Com isso, abortou a primeira tentativa de fazer a pole position e, depois do treino, reclamou que foi atrapalhado.

Perguntado se teria atrapalhado o finlandês, Verstappen foi enfático. “Eu estava à esquerda. Não acho que estava no caminho. Ele travou (as rodas) na curva seguinte fazendo a linha normal. Isso não é problema meu. Eu não estava lá no meio do caminho”. Após investigação, desta vez a FIA resolveu não punir o holandês da Red Bull.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!