Violência em Curitiba deixa 6 feridos e 1 preso; todos os internados ganham alta

A violência entre as torcidas manchou a rodada deste domingo do Campeonato Brasileiro logo nas primeiras horas da manhã. Por…


A violência entre as torcidas manchou a rodada deste domingo do Campeonato Brasileiro logo nas primeiras horas da manhã. Por volta das 8h30, torcedores do Coritiba agrediram corintianos nos arredores do estádio Couto Pereira, onde as equipes entraram em campo às 11h e empataram sem gols. Um torcedor foi preso por envolvimento na confusão e seis pessoas ficaram feridas, mas receberam alta.

O ônibus que levava corintianos para acompanhar a partida errou o caminho em uma rua próxima ao estádio onde fica a sede da principal torcida do Coritiba. Membros da Império Alviverde, a principal organizada do time paranaense, atacaram o veículo e agrediram os passageiros. Alguns deles ficaram feridos e precisaram ser encaminhados para três diferentes hospitais. O caso mais grave foi do torcedor Jonathan José Gomes da Silva, de 29 anos. O delegado Clóvis Galvão, da Delegacia de Atendimento ao Futebol, chegou a divulgar que o corintiano estava morto, mas a informação foi corrigida na sequência.

A Secretaria de Saúde do Paraná confirmou à tarde que o torcedor, no entanto, havia recebido alta por volta das 16 horas. Ele tinha sofrido uma fratura no braço e traumatismo craniano, mas apresentou melhoras após os atendimentos e foi liberado.

O corintiano estava internado no Hospital do Trabalhador junto com outro torcedor agredido, que também recebeu alta. Os demais feridos deixaram os outros hospitais na parte da tarde e voltaram para São Paulo.

O delegado Galvão disse que a Polícia está analisando as imagens para prender outros envolvidos no caso. “Já localizamos um dos agressores, que foi preso dentro do estádio. Vamos apurar os fatos. O suspeito confessou e ele pode ser indiciado por tentativa de homicídio”, disse o delegado. O torcedor preso é João Carlos de Paula, de 24 anos, identificado pelas imagens. Os clubes divulgaram notas em que lamentaram a briga.

CAMINHO ERRADO – Os conflitos entre as duas torcidas foram registrados desde as primeiras horas da manhã em Curitiba. Foram colocados à venda quatro mil ingressos para a torcida do Corinthians e 38 ônibus saíram de São Paulo para a partida.

A Polícia Militar (PM) disse em nota ter escoltado todos os ônibus com torcedores corintianos até a entrada do estádio, mas três deles, além de uma van, decidiram sair do comboio para chegar mais cedo ao jogo.

“Os ônibus se deslocaram por conta própria, sem informar o itinerário à corporação, e acabaram sendo alvo do confronto entre rivais”, explicou o texto da nota. Na rota, porém, entraram em uma rua errada e pararam em frente à sede da Império Alviverde, torcida organizada do Coritiba, na rua Mauá.

Um torcedor corintiano foi espancado por vários integrantes da Império Alviverde e as agressões só cessaram quando um outro torcedor do Coritiba interveio e esperou a chegada da Polícia Militar e do próprio socorro.

Segundo a PM, o esquema de segurança para o jogo foi eficiente e incluiu o deslocamento de uma equipe de policiais exclusivamente para escoltar um comboio de oito ônibus com corintianos que vieram do norte do Estado do Paraná.

Ainda na nota oficial, a PM afirma que foram tomadas todas as providências. “Foi feito o contato com torcidas organizadas para fechar acordos e trocar informações de como seria o policiamento, bem como sobre o público esperado a pé ou de ônibus e como seriam as escoltas”, garantiu.