Tigresas reiniciam trajetória no futebol feminino

Equipe feminina do Rio Branco estreia neste domingo em novo campeonato organizado pela FPF contra a Francana


Após dois anos de paralisação, o Rio Branco retomou seu projeto de futebol feminino, agora de forma terceirizada com a LB Consulting, e passa a reescrever a sua história na modalidade a partir deste domingo (19), quando o time estreia no inédito Campeonato Paulista Sub-17, criado pela FPF (Federação Paulista de Futebol). O primeiro compromisso será diante da Francana, às 11 horas, no estádio Victório Scuro, em Americana.

As Tigresas fazem parte do grupo 1, ao lado de Francana, Bonfim Recreativo e Ferroviária, campeã da Libertadores Feminina em 2015. O torneio ainda tem a participação de clubes tradicionais como Corinthians, São Paulo e Juventus.

Foto:
Primeiro compromisso da equipe será diante da Francana, no estádio Victório Scuro

A equipe Sub-17 do Rio Branco foi formada por meio de peneiras realizadas em campos da cidade. Ao todo, 22 jogadoras foram inscritas para o Estadual: as goleiras Mariana e Amanda, as laterais Giovana Russi e Duda Brito, as zagueiras Julia Leme, Leticia, Luana, Stefane, Estefane Santos, Maria Vitória e Thainá, as volantes Gabi, Giovana Ferraz e Bruna, as meias Juliana, Beatriz, Gabriela Helena, Rafaela e Maria, e as atacantes Glenda, Laisla, e Isabela.

O treinador é Thiago Nunes. “Tivemos uma preparação curta, algumas meninas nunca haviam praticado futebol antes, mas temos o objetivo de passar da primeira fase e revelar jogadoras para o time profissional feminino daqui um ou dois anos”, prevê o técnico.

Além da equipe Sub-17, o Rio Branco também já formou para esta temporada um time adulto. Nesta sexta-feira (17), a diretora de marketing do projeto, Leticia Ferraz, irá à FPF para avaliar as exigências para participação do Campeonato Paulista da categoria principal. O objetivo será melhorar o histórico do clube no futebol feminino.

Segundo levantamento do historiador Gabriel Pitor, nos dez anos em que o Rio Branco manteve seu último projeto na modalidade, em parceria com a Prefeitura de Americana, foram disputadas 42 partidas oficiais, com apenas cinco vitórias, três empates e incríveis 35 derrotas. Na década, as Tigresas marcaram 22 gols e sofreram 295.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter