Tigre perde 3 pênaltis e é eliminado da Copa SP

Rio Branco buscou empate com o Cruzeiro no tempo normal, mas time mineiro se deu melhor na decisão por pênaltis


Foto: Reprodução / SporTV
Momento da cobrança do gol de empate do Rio Branco no tempo normal

O Rio Branco fez um jogo equilibrado com o Cruzeiro, nesta quita-feira (11), e empatou no tempo normal por 1 a 1, mas perdeu nos pênaltis por 3 a 1, quando desperdiçou três de quatro cobranças, e foi eliminado na segunda fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior. O destaque do confronto realizado no estádio Sócrates Stamato, em Bebedouro, foi o goleiro cruzeirense Gabriel Brazão, que defendeu duas penalidades. No ano passado, o camisa 1 da Raposa já havia sido eleito o melhor da posição no Mundial Sub-17, quando representou a seleção brasileira da categoria.

Na próxima fase, o Cruzeiro enfrentará o Paraná, que passou pelo Batatais. O duelo começou de igual para igual, com o Rio Branco se segurando bem na defesa, até que sua zaga se atrapalhou em escanteio, aos 17, e rebateu mal a bola, deixando nos pés de Vitinho. O atacante fuzilou para o gol e abriu o placar. A partida era truncada e a grama alta atrapalhava a troca de passes dos dois lados. Aos poucos, o Tigre se soltou mais e passou a dar trabalho a Gabriel Brazão, primeiro em bela falta batida por Pavanelli, aos 33, e depois em arremate de fora da área de Caio, aos 38.

Na etapa final, quem brilhou foi o goleiro do Rio Branco, Zé Rafael. Em tabela de Marcelo com Diego, logo a 4 minutos, o camisa 1 americanense salvou com os pés. Pouco depois, o técnico Diolei Candido sacou o volante Samuel Júlio para promover a entrada do atacante Thiago Junior. A ousadia foi premiada de forma instantânea, já que, em seu primeiro lance, o atacante foi derrubado por Márcio quando tentou matar um arremesso de lateral em direção à área. Na cobrança do pênalti, o próprio Thigo Junior bateu rasteiro no canto direito e empatou o confronto: 1 a 1.

Foto: Reprodução SporTv
Pelo Tigre, Pavanelli foi quem abriu as cobranças, mas acertou o travessão

A igualdade no placar deixou o jogo tenso. O Rio Branco era rápido nos contra-ataques, mas pecava no último passe, enquanto o Cruzeiro, mais incisivo quando aparecia na frente, viu Zé Rafael brilhar mais uma vez em chance clara de Vitinho, que recebeu bom lançamento aos 34 minutos e concluiu de primeira, para boa defesa do goleiro riobranquense. Com o apito final e os jogadores já exaustos, a dramaticidade tomou conta nas cobranças de pênaltis.

Pelo lado do Tigre, só Samuel Andrade converteu, na terceira cobrança do time. Antes, Pavanelli havia mandado no travessão e Manghini esbarrou no goleiro Gabriel Brazão, que ainda defendeu a quarta cobrança, do zagueiro Thiago. Já pela Raposa, Marcelo, João Luis e Marcio acertaram, enquanto apenas Cesinha errou. Os mineiros seguem vivos na briga pelo bicampeonato da Copinha, enquanto os americanenses voltam para casa com a sensação de que podiam ter ido um pouco mais longe.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter