Técnico da Chapecoense encerrou carreira como jogador no Rio Branco

Caio Júnior se tornou jogador profissional no Grêmio e atuou no futebol português; em 1999, encerrou sua carreira jogando pelo time de Americana


Foto: Chapecoense / Divulgação
Caio tinha assumido a posição de técnico da Chapecoense neste ano

O técnico da Chapecoense Luiz Carlos Saroli, mais conhecido como Caio Júnior, morto na queda do avião que levava a delegação e jornalistas para a Colômbia, encerrou sua carreira como jogador no Rio Branco, em 1999. Ele foi atacante do time durante a primeira fase do Campeonato Paulista daquele ano.

Caio Júnior começou a jogar nas divisões de base do Cascavel e foi no Grêmio que veio a se tornar profissional. Em 1985 foi o artilheiro do Campeonato Gaúcho, com 15 gols. Caio também jogou no futebol português.

Em 1998, o jogador atuou pelo XV de Piracicaba e pelo Paulista de Jundiaí. No ano seguinte jogou pelo Rio Branco, onde encerrou sua carreira como jogador. “Estou muito triste. O Caio era um amigo, conheci ele aqui no Rio Branco. Éramos a dupla de ataque do time e fizemos uma excelente campanha no Paulistão daquele ano”, relembrou o gerente de futebol do clube americanense, Sandro Hiroshi.

A primeira experiência como treinador foi no Paraná Clube, em 2000. Considerado um técnico em ascensão, Caio chegou a dirigir o Palmeiras, Flamengo, Botafogo e Grêmio, por exemplo. Ele tinha assumido a posição de técnico da Chapecoense neste ano.