Pague Menos Corrida – SB.1

Prass não vê clima para disputa de última rodada: ‘Sentimento comum dos atletas’

Uma das mais importantes vozes dentre os jogadores do futebol brasileiro reforçou o coro dos atletas que pedem para que…


Uma das mais importantes vozes dentre os jogadores do futebol brasileiro reforçou o coro dos atletas que pedem para que a última rodada do Campeonato Brasileiro seja não só adiada, mas cancelada. O goleiro Fernando Prass, do Palmeiras, afirmou na noite desta quinta-feira que não vê clima possível para entrar em campo neste momento.

Campeão brasileiro pelo Palmeiras no último domingo, o experiente goleiro – que foi um dos integrantes mais ativos do já extinto Bom Senso FC, movimento de manifestação de atletas em prol de melhorias no futebol brasileiro ocorrido nos últimos anos – avaliou que, por sensibilidade, deve ser encontrada uma alternativa para a finalização da competição.

“Se eu tivesse voz ativa e poder de decisão, com certeza não teria essa última rodada, como é que tu vais dar um espetáculo numa situação dessas? Como vai comemorar o gol, que é a emoção do futebol”, explicou o goleiro, em entrevista à ESPN Brasil.

O goleiro afirmou que sua ideia – que também é partilhada pelos jogadores do Internacional em anúncio feito pelo meia Alex na tarde desta quinta – é um pensamento geral de grande parte dos jogadores do futebol brasileiro, ainda que não se trate de um movimento já organizado.

“O que tem é uma conversa por afinidade, de jogadores que se conhecem, e jogaram juntos nos clubes. Mas é mais um sentimento geral para não haver rodada, e não uma movimentação para isso”, explicou o atleta, que admite ser fácil para ele falar sobre isso após o título de seu clube.

“Para a gente pode ser fácil falar, porque já estamos resolvidos no campeonato, mas a minha opinião é que deve se achar uma alternativa para essa última rodada”, afirmou.

O Atlético-MG anunciou nesta quinta-feira que não irá à Chapecó para o jogo da última rodada. A CBF, por sua vez, havia afirmado que seria necessária a realização dos protocolos oficiais para a partida. O presidente Marco Polo Del Nero chegou a afirmar que o clube catarinense deveria realizar o jogo mesmo com equipes das categorias de base ‘para fazer uma grande festa em homenagem’ – a Chapecoense, por sua vez, criticou a entidade e confirmou que não irá mesmo entrar em campo.