Ministério do Esporte diz que dará auxílio às vítimas e familiares de acidente

O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, divulgou nota de pesar por conta do acidente aéreo com o time da Chapecoense…


O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, divulgou nota de pesar por conta do acidente aéreo com o time da Chapecoense na madrugada desta terça-feira. O Ministério prometeu dar “todo o apoio possível às famílias das vítimas” da tragédia ocorrida próximo à cidade de Medellín, na Colômbia.

“O Brasil está de luto com a notícia da queda do avião que transportava a delegação da Chapecoense, jornalistas brasileiros e cidadãos de Chapecó, que se deslocavam para a Colômbia para a final da Copa Sul-Americana”, escreveu Picciani. “O time de Santa Catarina vinha representando com muita honra o Brasil na competição. A campanha histórica da Chapecoense é motivo de orgulho para todos os brasileiros.”

Picciani disse ainda que o Ministério do Esporte e o governo brasileiro “estão trabalhando para apoiar os esforços de resgate e o tratamento dos sobreviventes, além de garantir todo o tipo de auxílio possível às famílias das vítimas”. “Pessoalmente e em nome do Ministério do Esporte, lamento profundamente a tragédia e me solidarizo com familiares, amigos das vítimas e a população de Chapecó”, escreveu o ministro.

O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, também lamentou a tragédia que causou a morte de ao menos 70 pessoas na madrugada, entre eles jogadores da Chapecoense, jornalistas e ex-jogadores como Mário Sérgio, comentarista da Fox Sports. O time catarinense voava rumo à Colômbia para disputar o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana.

“A equipe voava para defender o futebol brasileiro na primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional na Colômbia. Num pouso forçado, perdemos brasileiros que sonhavam voltar vitoriosos para casa. Rogo a Deus que console a família das vítimas e restabeleça a saúde dos sobreviventes. Peço empenho às autoridades competentes na apuração das causas do acidente”, afirmou o senador.