Maracanã com torcidas divididas tem Fla-Flu tenso e com promessa de jogo ofensivo

O clássico no Maracanã com torcidas igualmente divididas já seria motivo suficiente para se voltar os olhos para o Fla-Flu…


O clássico no Maracanã com torcidas igualmente divididas já seria motivo suficiente para se voltar os olhos para o Fla-Flu das 16 horas deste domingo. Mas, além da rivalidade histórica do confronto, a necessidade de pontuar faz com que Flamengo e Fluminense prometam um jogo ofensivo – e tenso, pelo risco que um eventual tropeço possa significar para o restante do Campeonato Brasileiro.

As duas equipes somam dez pontos e ocupam posição apenas intermediária na tabela. O Fluminense até que chegou a dar uma boa arrancada no início da competição, porém somou apenas um ponto nas últimas três rodadas e está em queda livre. O Flamengo, por sua vez, venceu no meio da semana, mas foi apenas o primeiro triunfo depois de uma série de quatro jogos sem vencer.

O elenco do Fluminense tenta demonstrar tranquilidade. “O campeonato é muito equilibrado, e o começo é muito difícil. É só ver o Atlético Mineiro, que tem o melhor elenco e está apanhando bastante para ganhar”, comparou Gustavo Scarpa. “O que conforta é saber que ninguém foge da responsabilidade.”

O meia tem tido atuações apenas medianas desde que voltou de longa parada por lesão, e na quinta-feira chegou a ser vaiado por parte da torcida ao ser substituído diante do Grêmio, pela Copa do Brasil. O jogador reconheceu o mau momento, mas acredita que uma boa atuação diante do Flamengo dará moral a todos na equipe. “Se ganhar, dá mais confiança ao time. A galera fica feliz, acho que é extremamente importante ganhar. Mas sabemos que será muito difícil.”

O técnico Abel Braga, que tem convivido nas últimas semanas com o excesso de desfalques, desta vez terá pelo menos um retorno. O volante Orejuela voltou da seleção do Equador e está garantido. Outro que deve ser opção ao menos para o banco é o atacante Wellington Silva, que não joga há mais de um mês.

No Flamengo, Zé Ricardo terá o retorno dos peruanos Trauco e Guerrero, que estavam a serviço da seleção peruana. “Eu tenho o time praticamente todo definido. Devem jogar Trauco e Guerrero. Faltam ainda duas peças que tenho dúvidas se mantenho ou se faço trocas”, revelou. As dúvidas estão na zaga, entre Juan e Rafael Vaz, e no meio de campo.

“Nós temos na posição quatro grandes jogadores, tanto Romulo, quanto William Arão e Márcio Araújo, além do Ronaldo, que já está de volta depois de pequena cirurgia”, comentou Zé Ricardo. “A ideia é mudar peças sem mudar a estrutura. No último jogo definimos que Cuellar ficaria por ter visão mais profunda de campo, de passe. Vamos definir isso ainda.”

Apesar da má fase do Flu, Zé Ricardo demonstrou preocupação com o adversário deste domingo. “Sabemos do poder do Fluminense, apesar dos desfalques. São atletas leves e ofensivos. O mínimo de vacilo eles aproveitam”, destacou.