Federação Catarinense de Futebol lamenta ‘forte golpe do destino’

A Federação Catarinense de Futebol (FCF) decretou luto de 30 dias por causa do acidente aéreo que vitimou ao menos…


A Federação Catarinense de Futebol (FCF) decretou luto de 30 dias por causa do acidente aéreo que vitimou ao menos 70 pessoas, incluindo jogadores do time da Chapecoense, na Colômbia, na madrugada desta terça-feira. A tragédia também causou a morte do presidente da Federação, Delfim Pádua Peixoto Filho, que era um dos vice-presidentes da CBF.

“A Diretoria da Federação Catarinense de Futebol manifesta pesar interminável aos familiares, amigos, cidadãos chapecoenses, catarinenses, brasileiros e a toda comunidade do futebol mundial pela maior tragédia do esporte brasileiro ocorrida com a delegação da filiada Associação Chapecoense de Futebol”, declarou a entidade, em nota.

Para a Federação, “o futebol catarinense sofreu um forte golpe do destino na madrugada nesta terça-feira”. Segundo a entidade, a Chapecoense vivia seu “auge” em seus 43 anos desde a fundação.

“A Chapecoense cruzava o Brasil levando a alegria de estar disputando em parâmetro de igualdade o espaço com as potências consagradas do futebol nacional. A imagem de equipe simpática da Chapecoense cativava até adversários em campo e nas arquibancadas, conquistando respeito e admiração de todos os amantes do futebol. Infelizmente, a madrugada da jornada épica da Associação Chapecoense de Futebol antecedeu o dia mais triste e trágico da história do esporte brasileiro”, completou.