Em má fase, Ponte Preta tenta se reorganizar para derrotar o Grêmio no Sul

Vivendo o seu pior momento no Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta tenta se reorganizar para, pelo menos, pontuar diante do…


Vivendo o seu pior momento no Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta tenta se reorganizar para, pelo menos, pontuar diante do Grêmio, neste domingo, às 16 horas, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, pela 14.ª rodada. Quem assumiu a responsabilidade de falar pelos jogadores foi o mais velho e mais vitorioso deles: Emerson Sheik. O atacante acha ser necessário “dar um passinho atrás”.

Depois ele explicou com mais calma o significado das suas palavras. Emerson Sheik quer o time jogando da maneira mais simples possível, com alto grau de concentração e se doando ao máximo na marcação. “Nós temos que jogar bem, acima de tudo. Daí, mesmo em caso de derrota, vai ser por mérito do adversário. Mas, jogando bem nós vamos reconquistar a autoestima e confiança para a sequência do campeonato. São 38 rodadas e ainda tem muita água para passar debaixo da ponte”, disse.

O técnico Gilson Kleina também está preocupado com a situação do time, que não vence há quatro rodadas, quando somou apenas um ponto e ficou 320 minutos sem balançar as redes adversárias. Com 15 pontos, o time paulista está ameaçado de entrar na zona do rebaixamento, algo que não aconteceu no ano passado. “Em campeonatos de pontos corridos todos vão oscilar e nós estamos oscilando. A palavra de ordem aqui é recomeçar. Vamos passar muita energia, muito pensamento positivo, porque para esse jogo temos que ter algo a mais para conseguir um resultado positivo”.

Após a derrota em casa para o Bahia por 3 a 0, a Ponte Preta busca a reabilitação. Mas deve reforçar o sistema de marcação. A expectativa é pela adoção do esquema 4-4-2, utilizando três volantes para reforçar a cobertura aos dois zagueiros e também aos dois laterais. Mas apenas o experiente Fernando Bob está confirmado como volante, restando, portanto, duas vagas. Elas são disputadas por quatro jogadores: Wendel, Naldo, Jadson e Elton.

No mais, Rodrigo entra na defesa no lugar de Kadu depois de cumprir suspensão e Renato Cajá, que também estava suspenso, pega a vaga de Claudinho. O meia tem a missão de armar as jogadas do time, além de chegar mais perto dos atacantes Lucca e Emerson Sheik.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter