Em clima de festa, Jô chega ao Japão e diz que ainda sonha em jogar a Copa

Em clima de festa, com a presença de aproximadamente 200 torcedores o esperando no aeroporto, o atacante Jô chegou ao…


Em clima de festa, com a presença de aproximadamente 200 torcedores o esperando no aeroporto, o atacante Jô chegou ao Japão para se apresentar ao Nagoya Grampus. Entre os assuntos mais importantes da entrevista coletiva desta sexta-feira, o artilheiro do último Campeonato Brasileiro disse que ainda sonha em jogar a Copa do Mundo da Rússia e admitiu sua predileção pela culinária do país oriental.

“O desejo de voltar à seleção brasileira e jogar mais uma Copa do Mundo é o mesmo. Minha alegria é que o Nagoya abriu as portas para eu fazer meu trabalho. Tenho certeza que se eu fizer um bom trabalho, bons jogos e gols, muitos no Brasil falam que eu tenho chance e por isso vou acreditar”, disse o centroavante.

O novo jogador do Nagoya Grampus, time recém-promovido à primeira divisão do Campeonato Japonês, recebeu a camisa 7 do presidente do clube e revelou que um dos fatores decisivos de ter aceitado a proposta foi a possibilidade de morar no Japão, além de ser fã da culinária do país oriental.

“Primeiro eu soube que o Japão é um ótimo país para se morar. Também ouvi de um amigo que o Nagoya é um clube maravilhoso, então não foi difícil tomar a decisão”, disse. “Gosto de comida japonesa. Já comi no Brasil, mas sei que aqui é diferente. Estou ansioso para poder comer a verdadeira comida japonesa. Tudo isso me atraiu. Aproveitar o que tem de bom dentro e fora dos gramados”.

Impressionado com a recepção, Jô agradeceu o carinho, deixou a cargo da torcida como o chamar e comparou os torcedores do novo time à torcida corintiana. “Os torcedores do Nagoya Grampus são um combustível para o time. É um comportamento parecido com o dos torcedores do Corinthians. Eu gostaria de pedir para os torcedores para criarem o apelido para mim”, afirmou Jô.

Para trazer Jô, o clube japonês desembolsou 11 milhões de euros (R$ 43 milhões) e ficou com 100% dos direitos econômicos do jogador, que tinha vínculo com o Corinthians até o final de 2019.

Cria da base do Corinthians, Jô estreou no time principal com 16 anos, e se tornou o jogador mais jovem a marcar um gol com a camisa alvinegra. Sob desconfiança, ele retornou ao clube paulista no final de 2016 foi decisivo para a temporada vitoriosa ao marcar 25 gols em 2017, sendo 18 no Brasileirão, o que o fez ser artilheiro da competição ao lado de Henrique Dourado.

Agora no Japão, Jô já jogou, além do Brasil, em outros cinco países: Rússia (CSKA), Inglaterra (Manchester City e Everton), Turquia (Galatasaray), Emirados Árabes (Al Shabab) e China (Jiangsu Suning).

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!