Definição de técnico do Rio Branco emperra

Escolha do nome para substituir o Andrezão, que parecia próxima, ainda está cheia de incertezas com a diretoria


O Rio Branco esperava ter começado a semana com um novo treinador confirmado para a disputa do Campeonato Paulista da Série A3. No entanto, se na última sexta-feira o presidente Valdir Ribeiro havia dado a entender que a diretoria já tinha um nome definido, agora o dirigente adota um discurso mais cauteloso. Prova disso é que a diretoria continua procurando técnicos e ainda não assinou nenhum contrato.

Na noite desta terça-feira, por exemplo, a alta cúpula riobranquense – leia-se Valdir Ribeiro e o gerente de futebol Sandro Hiroshi – e representantes do Ouroeste, novo parceiro do clube, se reuniram com mais um treinador. Já foi o terceiro profissional procurado pelo Tigre desde a semana passada. Embora nomes não sejam divulgados de forma oficial, técnicos como João Batista, que levou o Rio Branco às quartas de final da Copa Paulista em 2014, de Antonio Carlos Buião, ex-Rio Claro, e de Evaristo Piza, ex-Capivariano, são especulados nos bastidores.

Foto: Guerreiras Grenás / Reprodução
João Batista, que já esteve no Tigre, trabalha há 3 meses em Araraquara, onde treina o time de futebol feminino da Ferroviária

Procurados pela reportagem do LIBERAL, os três admitem ter recebido sondagens, mas negam qualquer tipo de acerto com o Tigre. João Batista está trabalhando há três meses em Araraquara, onde treina o time de futebol feminino da Ferroviária, atual campeã da Libertadores da categoria. Segundo ele, uma saída do clube seria difícil no momento, pelas condições de trabalho oferecidas na cidade e a estabilidade proporcionada por um ano de contrato.

Buião atualmente está desempregado, mas também desconversou sobre um convite para treinar o Rio Branco. “Um amigo deu um toque só, mas não tem nada de conversa, nada concreto”, comentou. Já Piza comandou o Penapolense na última Copa Paulista e chegou a ser lembrado por dirigentes do Tigre, mas a concorrência de outros clubes com maior poder financeiro deve ser um empecilho, já que o treinador se valorizou no mercado a partir de 2014, quando conquistou um acesso para a Série A1 com o Capivariano e dirigiu o Guarani no Campeonato Brasileiro da Série C.

O curioso é que as indefinições do momento contrastam com as palavras ditas pelo presidente Valdir Ribeiro na última sexta-feira, quando tudo levava a crer que a confirmação de um novo técnico estava próxima. “Já temos planejado quem serão as pessoas que irão compor a comissão técnica durante o próximo campeonato”, afirmou o dirigente na ocasião. Apesar das dúvidas, a tendência é que um novo comandante seja anunciado entre hoje e sexta-feira.