Confuso, Palmeiras leva pressão e cede empate ao Bahia em casa

Igualdade fez o Palmeiras ficar ainda mais distante do líder Corinthians, que soma 58 pontos, contra os 44 da equipe alviverde


Foto: Newton Menezes - Futura Press - Estadão Conteúdo
O que fica de temeroso para a equipe dirigida Cuca foi mais uma atuação muito ruim, pior até do que o resultado

Um Palmeiras confuso e frágil taticamente deixou o Pacaembu, na noite desta quinta-feira, com o empate por 2 a 2 contra o Bahia e ainda tendo que comemorar o resultado, já que os adversários tiveram muito mais oportunidades de vencer, sufocaram e viram Fernando Prass fazer a diferença.

A igualdade fez o Palmeiras ficar ainda mais distante do líder Corinthians, que soma 58 pontos, contra os 44 da equipe alviverde, em quinto lugar no Brasileirão. O Bahia, na luta contra o rebaixamento, chegou aos 32 pontos, na 14ª colocação.

O que fica de temeroso para a equipe dirigida Cuca foi mais uma atuação muito ruim, pior até do que o resultado. Foram dez dias de treinamento que, pelo menos nesta quinta-feira, não surtiram efeito algum. O curioso é que nos minutos iniciais a impressão era de que o jogo seria um massacre alviverde. Logo no primeiro minuto, Willian chegou de carrinho para mandar a bola às redes.

Em um ritmo intenso, o Palmeiras sufocou o Bahia até por volta dos dez minutos, quando parou de jogar. Ainda assim, o time ampliou aos 38, com Bruno Henrique, no momento em que o Bahia já parecia criar mais chances. Aos 46, Edigar Júnio descontou e deu um alerta para os palmeirenses.

Na etapa final, a torcida pediu Borja, ele entrou e não fez diferença. Até o volante Felipe Melo, fora da equipe por 78 dias, também recebeu uma chance e teve que ajudar o Palmeiras a suportar a pressão dos baianos, que fizeram Fernando Prass trabalhar bastante, com pelo menos quatro boas defesas. Aos 43 minutos, Róger Guedes fez pênalti em Mendoza, Edigar Júnio bateu e deixou tudo igual.

Os minutos finais foram de sufoco e mais defesas de Prass. Parecia que o Bahia era quem estava na parte de cima da tabela. No fim, o Palmeiras teve que comemorar o empate, enquanto era vaiado por sua torcida.

Os times voltarão a jogar no domingo. O Palmeiras vai visitar o Atlético Goianiense e o Bahia será mandante contra o Corinthians.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 2 BAHIA

PALMEIRAS – Fernando Prass; Tchê Tchê, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Thiago Santos, Bruno Henrique (Felipe Melo) e Moisés; Dudu, Willian (Róger Guedes) e Deyverson (Borja). Técnico: Cuca.

BAHIA – Jean; Eduardo, Rodrigo Becão, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Rene Junior (Feijão), Juninho, Vinícius (Rodrigão) e Zé Rafael (Régis); Mendoza e Edigar Junio. Técnico: Paulo César Carpegiani.

GOLS – Willian, a 1, Bruno Henrique, aos 38, e Edigar Junio aos 46 minutos do primeiro tempo; Edigar Junio aos 43 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Rafael Traci (PR).

CARTÕES AMARELOS – Mendoza, Edu Dracena, Rene Júnior.

RENDA – R$ 739.950.

PÚBLICO – 24.299 pagantes.

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter