Chapecoense tenta superar os desfalques contra o São Paulo para voltar a vencer

O momento é de preocupação na Chapecoense. Há seis jogos sem vencer, o time catarinense deixou a liderança do Campeonato…


O momento é de preocupação na Chapecoense. Há seis jogos sem vencer, o time catarinense deixou a liderança do Campeonato Brasileiro e caiu para a 16.ª posição, uma acima da zona de rebaixamento. Por isso, reabilitação é a palavra de ordem no elenco, ainda mais que vai enfrentar o São Paulo, adversário direto na luta contra o descenso, neste domingo, às 16 horas, na Arena Condá, em Chapecó (SC). É um “jogo de seis pontos” e os donos da casa tentam superar muitos desfalques.

Sem tempo para procurar culpados pela situação em que o clube se encontra na tabela de classificação, o técnico Vinícius Eutrópio tenta preparar o time apesar dos inúmeros desfalques. Ele reclamou muito da atitude do árbitro piauiense Dyorgines Jose Padovani de Andrade, que aplicou nove cartões amarelos na derrota para o Sport por 3 a 0. Dois deles foram para os atacantes Wellington Paulista e Arthur Kaíque, que receberam o terceiro e estão suspensos.

Mas os desfalques não param por aí. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) analisou o pedido de recurso dos atletas Reinaldo e Victor Ramos pela confusão na Copa do Brasil, frente ao Cruzeiro. O defensor pegou um jogo de suspensão, enquanto que o lateral-esquerdo foi punido com dois. Ambos cumprirão a pena no Brasileirão, ou seja, não participarão deste importante jogo.

“Temos que trabalhar com o que temos em mãos. A derrota para o Sport já passou. Agora é levantar a cabeça e trabalhar. Vamos enfrentar um time duro, que também precisa reagir na competição, só que jogaremos em casa. Quem for entrar, pode ter certeza que dará seu melhor”, discursou o treinador.

Sem quatro de suas principais peças, Vinícius Eutrópio deverá montar um time mais defensivo, colocando Lourency como único homem no setor ataque, povoando o meio de campo com Dodô, Andrei Girotto, Lucas Marques, Seijas e Lucas Mineiro. Diego Renan deve fazer a lateral esquerda, enquanto que Fabrício Bruno é o favorito para ocupar o miolo de campo. Ele briga por posição com Luiz Antônio, que deixou o time desde a eliminação da Copa Libertadores. O atacante Rossi, negociado com o futebol chinês, deixou de ser opção.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter