Britto descarta W.O. contra o Capivariano

Treinador garante que equipe vai a campo, apesar da ameaça de atletas


Com a saída de três jogadores antes mesmo da última rodada e as cobranças do elenco com a diretoria, o União Barbarense voltou a conviver nesta semana com a possibilidade de sofrer uma derrota por W.O., algo que seria inédito em sua história. No entanto, o técnico Cláudio Britto garante que o time vai a campo no domingo para enfrentar o Capivariano, às 16 horas, em Capivari, na despedida dos dois clubes na Série A2 do Campeonato Paulista.

O clima de insatisfação dos atletas é com os salários atrasados e as incertezas quanto ao futuro. A grande maioria do elenco tem contrato com o Leão da 13 até dezembro, mas a diretoria ainda não definiu se disputará a Copa Paulista no segundo semestre ou se vai emprestar ou propor uma rescisão amigável com os jogadores. Além disso, eles pedem que os dirigentes banquem ao menos as passagens aéreas para visitarem seus familiares após o término da Série A2, até que decidam onde vão jogar.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Depois da goleada sofrida diante do XV de Piracicaba, por 4 a 0, jogadores do Leão da 13 escancararam mais uma vez os problemas estruturais e indicaram W.O. em Capivari

Alguns, mais exaltados, ameaçaram não viajar com a delegação para Capivari domingo, seguindo os passos do lateral-direito Flávio, do volante Claudinei e do meia Renato Maceió, que já deixaram o clube nesta semana. Ontem, Cláudio Britto sequer comandou o treino marcado para o período da manhã. Ele ajudou o presidente Jairo Araújo a buscar soluções, enquanto o preparador físico Sandro Lima e o treinador de goleiros Edervan Boiam lideraram as atividades com o plantel. “Estou desde manhã na correria com o presidente para resolver algumas situações. Mas vai ter jogo sim, os caras vão para o jogo”, assegurou Britto.

REPLAY
A possibilidade de um W.O. não chega a ser novidade em Santa Bárbara. Também neste ano, o elenco deixou de treinar um dia, na semana antes do jogo contra o Mogi Mirim, para cobrar os salários atrasados. No ano passado, pela mesma situação, os atletas entraram em greve e só viajaram para uma partida contra o Santo André depois de um apelo emocionado da cozinheira do clube.
Apesar de toda a eminência de uma desistência por parte dos jogadores, nunca em 102 anos de história o União Barbarense deixou de atuar em um jogo profissional válido pelo Campeonato Paulista.