Letícia Spiller se apresenta em Americana neste domingo

Atriz Letícia Spiller solta a voz junto a cantora Caru Ricardo no espetáculo “Não Deveria Se Chamar”, que estreia no Teatro Municipal neste domingo


Muitos reconhecem a atriz Letícia Spiller pelo seu trabalho como atriz, principalmente em telenovelas da Rede Globo, como na atual “Sol Nascente”, na qual ela interpreta a personagem roqueira Lenita. Entretanto, a carioca está trazendo novos ares à sua carreira, soltando a voz, literalmente. Na montagem “Não Deveria Se Chamar”, que estreia neste domingo no Teatro Lulu Benencase, em Americana, ela sobe ao palco para cantar clássicos da música brasileira. Letícia ainda é acompanhada por Caru Ricardo e por banda. A montagem será encenada às 19h, e a classificação é 14 anos.

Letícia e Caru misturam leituras de cartas de amor com um repertório de músicas brasileiras. De moda leve e interativa, propõe questionamentos e reflexões sobre as diversas formas de amor. Ainda dividem o palco com as belas os músicos Danilo Moraes (guitarrista), Tony Berchmans (pianista), Marcelo Effori (baterista), André Ricardo (multi-instrumentista), e Jesus Sanchez (baixista).

A carioca tem encantando o público há décadas na televisão brasileira. Começou com a célebre e disputada função de Paquita no programa “Xou da Xuxa”, junto a apresentadora Xuxa Meneghel, em 1989. Na época, a profissão era aclamada pelo público brasileiro. Em novelas, fez sua primeira participação especial em 1992, em “Despedida de Solteiro”, e assumiu o primeiro papel em “Quatro por Quatro”, como Babalu. Foi nos bastidores desta trama que conheceu seu ex-marido, o ator Marcelo Novaes, com quem contracena atualmente, 22 anos depois. Poucos conseguem acreditar, pelo talento e beleza da atriz, que ela já está na faixa etária dos 40 anos (exatamente 43). Fatos e dados à parte, Letícia Spiller falou sobre sua nova montagem em entrevista ao LIBERAL nesta sexta-feira:

Foto: Divulgação
A carioca tem encantando o público há décadas na televisão brasileira

Como surgiu a ideia desse espetáculo musical?

A princípio, foi ideia de minha amiga Caru Ricardo e de nosso produtor musical. Eles me convidaram dizendo ‘vamos cantar o amor incondicional?’, e eu disse, ‘sim!!’

Por que decidiram trazer a montagem para estrear em Americana?

Liberal Motors – BC
Revista L – BC.1

Spiller Creio que foi Americana que nos escolheu! É nossa primeira oportunidade de um show aberto [ao público para valer].

E qual foi o critério para a escolha deste repertório romântico, baseado em sucessos da MPB?

Spiller Cantar o amor, que é algo que acho que todos precisamos. E também são composições que fazem parte da nossa história de vida e amizade.

Você pensa em investir mais na carreira como cantora, em gravar um CD, por exemplo?

Spiller Não tenho pretensão nenhuma em relação a isso. O que tiver que ser será. Mas gostaríamos de viajar com esse show.

Acontece. O espetáculo “Não Deveria Se Chamar” estreia neste domingo, às 19h. Os ingressos custam entre R$ 30 e R$ 60. O Teatro Municipal Lulu Benencase fica na Rua Gonçalves Dias, 696, Jardim Girassol. Informações pelo telefone 3461-3045.