Maestro Carlos Lima volta a Americana nesta terça

Maestro que atuou frente a Orquestra Sinfônica de Americana e na criação da Escola Municipal de Música, volta ao município com trio nesta terça-feira


or sete anos, o maestro Carlos Lima atuou à frente da Orquestra Sinfônica de Americana, e desenvolveu diversos projetos de educação musical na cidade, incluindo a criação da Escola Municipal de Música Heitor Villa-Lobos.

Nesta terça-feira, ele está de volta ao município para não só matar saudade, como também apresentar o show do Carlos Lima Trio, atração da 18ª edição do projeto JucaJazz nesta terça-feira, no John Gow Irish Pub, a partir das 18h. “É uma cidade que gosto muito, tenho uma admiração e um carinho muito grande por Americana, então estou muito feliz por voltar”, comemora Lima.

“Americana foi uma fase muito importante da minha carreira, também um desafio muito grande. Cheguei em 1998, em um período que a orquestra enfrentava uma crise, inclusive com a Prefeitura, e tinha o risco de se ‘dissolver’ em 1999. Então, fui chamado justamente para tentar dar uma ‘cara’ nova para a orquestra, tentando popularizá-la, sem perder a qualidade. E acabei ficando até 2005”, conta Lima sobre sua atuação.

Foto: Juarez Godoy / Divulgação
Maestro Carlos Lima, que atuou frente a Orquestra Sinfônica de Americana e na criação da Escola Municipal de Música, volta ao município com trio nesta terça-feira

Atualmente radicado em Araraquara, ele se recorda que o passado em Americana foi uma fase promissora. “Fizemos muita coisa, realizamos muitos projetos, conseguimos manter a tradição da música clássica e, ao mesmo tempo, fazer vários shows de música popular. Foi um período em que Americana ganhou até um destaque no cenário cultural de São Paulo”.

Escola de música. Lima também participou ativamente da criação da Escola de Música Municipal Heitor Villa-Lobos, hoje sediada nas imediações do CCL (Centro de Cultura e Lazer) Poeta António Zoppi. Após sua passagem pela cidade, ele seguiu carreira internacional como músico, mas não deixou a educação musical de lado.

Em seguida a passagem pelo município, desenvolveu em Mogi Mirim um trabalho de inclusão social por meio de orquestras, ativo até hoje, com alunos que hoje atuam com alta performance.

Outro fato marcante na carreira de Lima nesta vertente foi o fato dele ter sido selecionado pelo Minc (Ministério da Cultura) para uma comissão sobre modelos sociais de educação musical no Brasil, junto a outros oito maestros, representando o estado de São Paulo em 2013. “Esta experiência da criação da Escola de Música de Americana foi fundamental para isso, me ajudou muito”.

Trio passeia por variados estilos

Esta é a primeira vez que Carlos Lima se apresenta com o trio na cidade. Ele veio a Americana para participar do JucaJazz Festival como convidado, e agora será o protagonista da noite, como violonista.

“Vamos tocar um pouco de tudo, de jazz, música brasileira, e até alguns temas de rock, como Pink Floyd e Led Zeppelin, levando para o lado jazzístico. Este lado como músico é um dos que eu menos exploro na minha carreira, então sempre que tenho oportunidade de fazê-lo, fico muito feliz”. Além de Lima (violão), o trio é formado por Kléber Barbosa (contrabaixo) e Luiz Lima (bateria).

O trio é resultado de uma banda que, no passado, atuava com mais integrantes. Pela agenda ocupada de Lima, as gravações das músicas do grupo ficaram de difíceis de acontecer. Entretanto, ele adianta que existe a previsão de lançar um álbum em 2018. “Não tenho pressa, nosso objetivo é tocar bem, e as pessoas poderem assistir e discutir sobre isso”, conclui.

Acontece: O Carlos Lima Trio se apresenta no JucaJazz nesta terça-feira, a partir das 18h. O couvert artístico custa R$ 15. O John Gow Irish Pub fica na Rua Herman Muller, 275, Jardim Girassol. Informações pelo telefone 3407-4996.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter