Dia Nacional do Samba é celebrado em Americana

Evento no CCL reúne diversos sambistas da região nesta sexta (2), a partir das 18h, com entrada gratuita


No samba “Na Baixa do Sapateiro”, Ary Barroso cantava que encontrou um dia “a morte mais frajola da Bahia”. Entretanto, quando o artista compôs a música em 1938, ele ainda não havia pisado em solo baiano. Essa viagem só aconteceu em 2 de dezembro de 1940, quando colocou seus pés em Salvador pela primeira vez. Impressionado com a viagem, o vereador baiano Luís Monteiro da Costa propôs que esta data se tornasse o Dia Nacional do Samba, que foi oficializado pela Unesco em 2005, quando a entidade reconheceu o samba como Patrimônio Imaterial da Humanidade.

Foto: Divulgação
Adilson do Cavaco é um dos sambistas que integram a programação do Dia do Samba

Para celebrar, a Sectur (Secretaria de Cultura e Turismo de Americana) promove a partir das 18h o evento gratuito “Dia Nacional do Samba”, que ocorrerá no CCL (Centro de Cultura e Lazer) Poeta António Zoppi. Ao longo da noite, serão realizadas apresentações dos sambistas da região Adilson do Cavaco, Iris 7 Cordas, Cauã Brasil, Wilson do Cavaco, Grupo Arte Nativa Samba, Carlão Percussão, Grupo Lua Negra, Wlad e Leandro Percussão e Voz e Gamboa Samba. Ao final, os músicos se reunirão em uma grande roda de samba.

O músico e pesquisador da história do samba Wlademir Aparecido de Castro está colaborando com a organização do evento e enfatiza que o repertório das apresentações será baseado desde clássicos de Donga, Zé Keti, Cartola, Noel Rosa e Adoniram Barbosa, até as mais novas, como de Zeca Pagodinho, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, entre outros mestres do gênero. “Nesta sexta serão cantados sambas desde os anos 1920 até os da atualidade”, explica o músico.

ACONTECE: O “Dia Nacional do Samba” será celebrado nesta sexta-feira (2), a partir das 18h. A entrada é gratuita. O CCL fica na Avenida Brasil, 1.293, Jardim São Paulo. Informações pelo telefone 3408-4800.