Banda T.H.D prepara estreia em disco e tenta fazer música cristã moderna

Formação da região vem se destacando com uma nova roupagem de músicas que fala sobre Deus e seus desígnios


O cenário de música cristã vem rompendo os laços tradicionais e aparece no mercado com roupagem cada vez mais atualizada, atraindo também fãs de “fora” da Igreja. Esse é o caso da Banda T.H.D, com músicos de Santa Bárbara d’Oeste e Americana, que vem se destacando no cenário nacional. O grupo, que surgiu a partir de um “chamado de Deus”, trabalha na divulgação do EP recém-lançado e celebra a conquista do primeiro lugar no Festival Maranatha, realizado em Limeira no último mês, com bandas do mesmo gênero. A música responsável pela vitória foi “Descansar”, cujo videoclipe já está disponível no Youtube. Em entrevista ao LIBERAL, os músicos falaram sobre a carreira e as dificuldades do cenário.

O nome T.H.D é a abreviação de “The Heaven’s Door”, que em tradução do inglês ao português significa “a porta do céu”. A banda tem apenas um ano de atuação e é integrada por músicos de diversas faixas etárias e profissões. São eles: Rafinha Azanha, 26 anos (voz e violão); Ocimar Barban, 51 (guitarra); Gustavo Dragone, 22 (bateria); Maurício Pantano, 48 (teclados) e Adriano Rosa, 23 (baixo).

Foto: Marcelo Rocha-O Liberal
O nome T.H.D é a abreviação de “The Heaven’s Door”, que em tradução do inglês ao português significa “a porta do céu”

A criação do grupo ocorreu na Igreja. “Espiritualmente, sempre me senti mais confortável em tocar música cristã. Então, parte da minha vida esteve e está ligada à Igreja, e foi lá que tive o prazer de conhecer o Rafinha”, lembra Pantano. Ele conta que, em uma das missas da Paróquia São Francisco de Assis, foi despertada a vontade e alegria dos músicos de evangelizar por meio da música. “’Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram ‘chamados’ de acordo com o seu propósito’, como está em Romanos 8:28. Tínhamos aí um propósito de servi-lo”.

Maurício observa que a diferença de idade não interfere na interação dos músicos. “Somos alegres, empenhados e dedicados no nosso trabalho, que independe da faixa etária”, defende. O vocalista Rafael Azanha acredita que a banda apresenta ao público uma “pegada nova” no cenário cristão. “As letras, ritmos, melodias, arranjos, cada detalhe foi pensado e estudado com muito carinho. Nosso diferencial está em um estilo inovador com qualidade neste cenário”.

Preconceito. O álbum completo do grupo sairá no ano que vem, mas os fãs já podem conferir o EP, gravado em julho deste ano, e faixas que são executadas em rádios do segmento religioso. “Temos músicos e bandas de altíssima qualidade na região. Acredito que muitas portas se abrirão. Nós da T.H.D. abrimos apenas uma delas. Com um vasto caminho a percorrer, conscientes que não será fácil”, observa Azanha. Entre as dificuldades enfrentadas pelos músicos, está o preconceito de quem não acompanha o cenário cristão. “Não deveria ter, mas tem, e muito! Aí entra nossa fé e coragem!”, completa o vocalista.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter