Telas terão sequência de ‘estreias de heróis’

Homem-Aranha, Thor e Liga da Justiça agitam os seis meses finais de 2017


Foto: Marvel/Sony_Divulgação
Novo filme estreia no início do próximo mês nos cinemas mundiais

Os lançamentos de filmes baseados em heróis dos quadrinhos são cada vez mais frequentes e atraem mais gente aos cinemas de todo o mundo. Só esse ano, a Fox trouxe “Logan”, sua versão “para maiores” de Wolverine (e arrecadou cerca de US$ 614 milhões mundialmente); a Marvel Studios lançou “Guardiões da Galáxia Vol.2”, faturando US$ 835 milhões; e a Warner/DC emplacou “Mulher-Maravilha”, que tem feito bonito pelo mundo afora. A lista de longas de super-heróis este ano, no entanto, ainda vai aumentar.

No segundo semestre, Marvel e DC Comics trazem novas produções de personagens consagrados, aumentando seus universos compartilhados e esvaziando os bolsos dos fãs de quadrinhos de um modo geral. O ponto de partida é “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”, filme fruto da parceria entre Marvel e Sony e que coloca o Cabeça de Teia (vivido por Tom Holland, que já encarnou o personagem em “Capitão América: Guerra Civil”) dentro do seu Universo Cinematográfico.

O filme, que estreia no dia 6 de julho, vai mostrar o Homem-Aranha (Holland) enfrentando bandidos como o Abutre (Michael Keaton), enquanto tenta mostrar seu valor à Tony Stark (Robert Downey Jr.) e entrar, de vez, para a equipe dos Vingadores. “Acho que a diferença agora é que Peter Parker finalmente tem um objetivo, que é se tornar um Vingador. Tudo o que ele faz, ainda que seja pelos motivos certos, é feito para que um dia ele se torne parte dos Vingadores e prove o seu valor para Tony Stark”, disse Hollando ao Yahho Movies.

Essa é a terceira versão do Homem-Aranha nos cinemas em 15 anos. Tobey Maguire viveu o herói nas telonas pela primeira vez, na trilogia dirigida por Sam Raimi (2002, 2004 e 2007). O reboot do personagem veio em 2012, com “O Espetacular Homem-Aranha”, com Andrew Garfield como protagonista e Mark Webb na direção. O projeto era que essa nova versão fosse uma “quadrilogia”, mas a ideia foi abortada depois do segundo filme, lançado em 2014.

Agora, em “De Volta ao Lar”, temos uma nova visão de Peter Parker, mais jovem e menos experiente. A ideia do diretor Jon Watts (em seu primeiro blockbuster) é que o novo longa do Amigão da Vizinhança traga a essência de clássicos dos anos 1980. “Ele [Watts] nos passou diversos vídeos, filmes antigos para assistir antes de começar as filmagens: ‘A Garota de Rosa Schoking’, ‘O Clube dos Cinco’, ‘Curtindo a Vida Adoidado’”, explicou Holland.