Desfecho de trilogia, ‘Cinquenta Tons de Liberdade’ chega aos cinemas

Christian Grey e Anastasia Steele voltam às telas do cinema em “Cinquenta Tons de Liberdade”


A história de amor do casal Christian Grey e Anastasia Steele será exibida pela última vez nas telas de cinema. Fãs do mundo inteiro já acompanharão a pré-estreia de “Cinquenta Tons de Liberdade”, o último da franquia “Cinquenta Tons”, na madrugada desta quarta-feira. O longa-metragem traz o desfecho para a história de amor e sedução iniciada em 2015 e continuada em 2017, que já arrecadou 950 milhões de dólares.

Deixando para trás figuras sombrias do passado, os recém-casados Christian (Jamie Dornan) e Ana (Dakota Johnson) compartilham de uma rotina de romance e luxos. Mas logo que Ana assume seu novo papel de Senhora Grey, e ele relaxa em uma estabilidade insólita, surgem novas ameaças que podem colocar em risco seu final feliz antes mesmo dele começar. O terceiro filme é baseado na obra de E.L. James. A escritora inglesa conta na divulgação do filme que ela não planejava escrever “Cinquenta Tons de Liberdade”. “Os primeiros dois livros foram escritos como um só e eu tinha parado no pedido de casamento, quando pensei, ‘Está ótimo. Deixei-os em uma boa situação’”.

Foto: Divulgação
O terceiro filme é baseado na obra de E.L. James

Porém, pela insistência dos fãs, ela deu continuidade para o casal. “Eu sabia que a única coisa que poderia fazer era engravidar a Ana e ver a reação do Christian, que não é exatamente ótima. Sabia que este era o caminho que eu queria para a história. Foi por este motivo que comecei a escrever o terceiro livro, para vê-lo apavorado, furioso, quando ela conta que está grávida, porque ele mesmo é uma criança assustada”.

E.L. James ainda adianta que, além do casal enfrentar a nova experiência do casamento, eles terão que se preocupar com outras ameaças. “Encontramos nosso amado casal se conhecendo mutuamente e buscando uma maneira de viver um com o outro. Como alguém que está casada há muito tempo, você meio que apara as arestas um do outro, por assim dizer, em um relacionamento, e é isso que o Christian e a Ana estão começando a fazer”, observa a autora.

Este terceiro capítulo é dirigido por James Foley, o mesmo do filme anterior, “Cinquenta Tons Mais Escuros”. Ambos filmes foram rodados simultaneamente. Para ele, não foi como se o desafio fosse duplo, porque os títulos são diretamente contínuos um ao outro. “É sempre terrível segurar uma grande história em sua mente. Desta vez, nosso filme era simplesmente mais longo, mas a linha de pensamento emocional estava ligada diretamente. Não era como se ‘Cinquenta Tons de Liberdade’ começasse 10 anos mais tarde, quando o Christian e a Ana são pessoas totalmente diferentes. Ele começa poucos meses depois de ‘Cinquenta Tons Mais Escuros’, portanto há uma continuidade real que tornou possível sua realização”, explica o diretor.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!