Cineclube Estação comemora 13 anos de projeto

Produção documental que resgata a história do Cineclube Estação é lançada nesta terça-feira em Americana


Nesta terça-feira é comemorado o Halloween (dia das bruxas), mas o projeto Cineclube Estação, de Americana, não exibirá nenhum filme de terror. Pelo contrário, o longa-metragem da sessão desta semana relembra a história de sobrevivência da ONG (Organização Não Governamental) Cineclube Wagner de Oliveira, responsável pelo projeto há 13 anos, e que celebra seu legado com seu próprio documentário, com estreia neste dia 31. A sessão ocorre às 20h no auditório do CCL (Centro de Cultura e Lazer) Poeta António Zoppi, com entrada gratuita.

O documentário “Cineclube Estação: 13 Anos de Cineclubismo” mostra as três gerações do projeto, que atualmente está sediado no MAC (Museu de Arte Contemporânea) de Americana, nas imediações do CCL. As sessões são gratuitas e ocorrem todas às terças-feiras, às 19h30. Tudo isso graças aos amigos Eduardo Minatel, Marco Fontanetti, Fabrizio Racanella, Leonardo Lenhare, Wagner de Oliveira e André Ortega, que deram início à iniciativa, continuada por outros amantes de cinema da cidade.

Foto: Divulgação
Produção documental que resgata a história do Cineclube Estação é lançada nesta terça-feira em Americana

Luan Augusto, atual presidente da ONG, começou a participar do cineclube ainda como espectador, quando o projeto ocorria na Estação Cultura, em meados de 2006. Ele passou a integrar a organização quando o projeto mudou-se para a Etec (Escola Técnica Estadual) Polivalente, e agora acompanha as sessões no MAC. “Muita gente já passou por esse projeto desde a sua fundação, e nós conseguimos entrevistar algumas dessas pessoas que o fundaram ‘lá atrás’. Ficou um documentário bastante rico, com informações históricas. Não conseguimos falar com todo mundo, obviamente, mas têm bastantes histórias que dão uma ideia de como foram estes 13 anos”, adianta Augusto, sobre o resultado final.

O documentário foi viabilizado por edital do Comcult (Conselho Municipal de Cultura de Americana) de 2013, que só foi pago pela administração atual. A produção levou cerca de um ano, com direção e edição assinadas por Denis Carvalho, da produtora cultural Disco 1. Toda a organização do Cineclube Estação colocou “a mão na massa”, assim, o documentário proporcionou o aprofundamento dos integrantes no conhecimento de técnicas cinematográficas.

Ainda que seja uma história leve, de mais vitórias que derrotas, os 13 anos não foram fáceis e o filme mostra momentos marcantes desta história. Horus de Oliveira falou ao filme sobre o envolvimento do seu irmão, Wagner de Oliveira, que dá nome à ONG. Wagner faleceu antes de ver o sonho do cineclube americanense se concretizar.

Outro momento marcante é o depoimento inédito do VJ André Ortega, um dos fundadores do projeto, que morreu no último dia 12 de outubro. “A importância do Ortega para o projeto foi fundamental. Ele conta bastante sobre a experiência dele com o Cineclube, como isso ajudou na sua vida profissional. Ele nos deixou um legado muito rico. Nós sempre vamos lembrar dele! Ele fez coisas que só acrescentaram e fizeram com que o projeto alcançasse seus 13 anos”, conclui Augusto.

ACONTECE: O documentário “Cineclube Estação: 13 Anos de Cineclubismo” será exibido nesta terça, às 20h. A entrada é gratuita. O MAC fica na Avenida Brasil, 1.293, Jardim São Paulo. Informações pelo telefone 3408-4810.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!