Crescimento a cada novo papel que interpreta

Gabriel Leone se prepara para viver papel de destaque em “Onde Nascem Os Fortes”, nova trama das onze


Apesar da pouca idade e experiência, Gabriel Leone já adota um discurso de veterano. Talvez porque, desde que estreou na televisão, em uma participação em “A Grande Família”, o ator de 23 anos viu crescer a importância de seus papéis a cada novo trabalho. Primeiro chamou atenção em “Verdades Secretas”, de 2015, depois ganhou repercussão em “Velho Chico”, em 2016, e conseguiu se manter no ar no ano seguinte, na pele do revolucionário Gustavo de “Os Dias Eram Assim”.

Foto: Divulgação/Globo
De cabelo bagunçado, cacheado e volumoso para cabeça raspada

Agora, ele se prepara para voltar às produções da Globo como o Hermano de “Onde Nascem Os Fortes”, próxima trama das 23 horas, com estreia prevista para o dia 23 de abril. A chance de interpretar personagens diferentes a cada ano, Gabriel credita a um misto de sorte e dedicação. “Há muito trabalho, preciso correr atrás e, principalmente, aproveitar as oportunidades. Não adianta ficar esperando a sorte. Se eu estivesse fazendo um personagem atrás do outro de qualquer jeito, a coisa iria desandar”, pondera.

Em “Onde Nascem Os Fortes”, Gabriel interpreta um paleontólogo que foi adotado ainda pequeno pelo empresário Pedro Gouveia com a Rosinete, personagens de Alexandre Nero e Débora Bloch. Logo no primeiro capítulo, Hermano conhece Maria, de Alice Wegmann. Mas o romance se torna impossível a partir do momento em que a moça acusa Pedro de ser o responsável pelo sumiço de seu irmão gêmeo, Donato, papel de Marco Pigossi. “A vida do meu personagem vira de cabeça para baixo e acredito que vá permanecer assim até o fim da série. É um papel denso, que vai lutar pelo amor e pelas coisas que acredita dentro da família”, adianta.

Para gravar parte das sequências da produção, Gabriel viajou para o Lajedo de Pai Mateus, no sertão da Paraíba. Foram quase dois meses de trabalho, sem voltar para casa. Mas, apesar dos momentos de solidão que passou durante o período, o ator se sente à vontade na paisagem árida do Nordeste. Afinal, já havia rodado um filme na região e várias cenas de “Velho Chico”. “É um lugar realmente impressionante, chega a ser mágico”, deslumbra-se ele, que aproveitou para refletir sobre a própria vida. “Foi uma experiência de certa forma angustiante e em outras vezes produtiva. Faz um baita de um sol e de noite esfria, escurece cedo. São coisas que mexem com você e fazem pensar em tudo”, filosofa Gabriel.

Visual. Depois de interpretar um jovem rebelde em “Os Dias Eram Assim”, Gabriel precisou mudar radicalmente o visual para encarnar o novo personagem. No trabalho anterior, o ator exibiu um cabelo bagunçado, cacheado e volumoso. Agora, está de cabeça raspada. Para ele, no entanto, qualquer transformação é válida para diferenciar um papel do outro. “Isso é importante para a criação dos personagens e para eu me enxergar fisicamente neles”, explica.

Com a mesma naturalidade Gabriel enxerga a necessidade de protagonizar cenas de nudez. Nos primeiros capítulos de “Onde Nascem Os Fortes”, ele terá sequência do tipo. Mas ele não parece se abalar com isso. “Todos os papéis que fiz tiveram momento de nu. É sempre dentro da proposta do personagem”, diz. Luana Borges_TV Press

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!