Construção de Etec parada causa transtornos

Com a obra parada desde o meio do ano passado, a construção abandonada causa transtornos, aos moradores das imediações do local


Quando as obras da Etec (Escola Técnica Estadual) do Jardim Luiz Cia, em Sumaré, começaram em setembro de 2015, os moradores do bairro ficaram animados. O dono da padaria em frente ao local, Maciel Venâncio dos Santos, foi um deles. Hoje, no entanto, com a obra parada desde o meio do ano passado, a construção abandonada causa transtornos.

Quase um ano depois da interrupção da construção, existem partes caídas e restos de material de construção, e não há o mais importante para os moradores: previsão para retomada e conclusão dos serviços.

Assim que a reportagem do LIBERAL chegou à obra parada, os comerciantes e moradores do entorno apresentaram suas reclamações. “No ano passado eles estavam devagar, aí o governador Geraldo Alckmin veio aí, deu uma acelerada, mas depois parou de vez. Tem muito lixo, muito mato, inseto, cobra, escorpião, rato e isso atrapalha bastante. Uma vez tive que chutar um rato que estava vindo de lá para ele não entrar na padaria”, contou Santos.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Desde o ano passado a obra da Etec de Sumaré causa transtornos aos moradores

De acordo com a placa instalada no terreno, a obra é de responsabilidade do Centro Paula Souza, do Governo do Estado de São Paulo, e foi orçada em R$ 7,5 milhões. A construção é feita onde funcionava anteriormente o Sesi.

Fazem parte do projeto a construção de bloco administrativo e pedagógico, ginásio de esportes com vestiário e portaria. Iniciada em setembro de 2015, a construção deveria ter ficado pronta em um ano, mas sete meses após o prazo, o cenário é bem diferente.

Não há calçada e o mato toma conta de tudo. Os pedestres precisam andar pela rua, há partes das vigas danificadas e bastante material de construção acumulado.

O Centro Paula Souza foi questionado em relação aos problemas no local, e sobre o que motivou a interrupção da obra, mas respondeu apenas que “a instituição dará início a novo processo licitatório para possibilitar a continuidade das obras da futura Etec de Sumaré”.

Segundo a nota, a publicação no Diário Oficial do termo de rescisão do contrato com a antiga construtora está prevista para os próximos dias. O órgão não explicou o que causou o rompimento, e nem deu previsões para retomada.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter