Comissão vai analisar contrato da Pró-Saúde

A equipe tem até 30 dias para apresentar sugestões ao Executivo e colocar fim à greve dos médicos contratados pela empresa


Uma comissão vai analisar o contrato da Prefeitura de Sumaré com a Pró-Saúde, organização social responsável pela gestão da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Macarenko e do PA (Pronto Atendimento) do Matão. A equipe tem até 30 dias para apresentar sugestões ao Executivo e colocar fim à greve dos médicos contratados pela empresa.

“Esta comissão vai auditar o contrato com a Pró-Saúde, verificar a prestação dos serviços para a população e apresentar uma solução o mais rápido possível”, explicou o prefeito por meio da assessoria de imprensa.

Foto: Arquivo / O Liberal
Falta de pagamento a médicos afeta atendimento em UPA do Jardim Macarenko

A comissão é presidida pelo procurador-geral do Município, Arlei Mapelli, e ainda são membros os secretários de Finanças e Orçamento, Carlos Fernandes, Governo, Welington Domingos Pereira, e Administração e RH, Silvio Coltro.

Liberal Motors – BC

O presidente da comissão pediu paciência à população e aos médicos da Pró-Saúde. “Nós temos ciência do problema e estamos enfrentando, estamos avaliando toda a situação. Sabemos que a população quer respostas rápidas, nós também queremos, mas infelizmente, na Administração Pública, às vezes não dá para resolver de um dia para o outro. Na próxima semana, já devemos apresentar uma solução”, explicou Mapelli.

Os médicos da Pró-Saúde estão com salários atrasados e desde outubro de 2016 e só atendem os pacientes mais graves. O pagamento destes profissionais é responsabilidade da organização social, mas os repasses da prefeitura à empresa não foram feitos corretamente pela gestão anterior.