Expulso do PSDB, Juca diz que ficará sem partido até 2018

Ele foi acusado de infidelidade partidária por ter começado a trabalhar como assessor do deputado estadual Chico Sardelli (PV) no início do ano


O ex-vereador de Santa Bárbara d’Oeste Edison Carlos Bortolucci Junior, o Juca, foi expulso do PSDB nesta quinta-feira após votação interna entre os membros. Ele foi acusado de infidelidade partidária por ter começado a trabalhar como assessor do deputado estadual Chico Sardelli (PV) no início do ano, quando ficou sem mandato. O ex-tucano foi presidente da Casa de Leis nos últimos dois anos, ficou na 20ª colocação nas eleições de 2016 e tem cargo de suplente no Legislativo.

Foto: Arquivo / O Liberal
Juca afirmou que antes mesmo das eleições recebeu convites de outros partidos, mas por pedido do deputado estadual Cauê Macris (PSDB), permaneceu na legenda

O ex-vereador classificou a decisão dos membros do partido foi tomada de forma irregular e política. “Eles se acharam no direito de me expulsar, mas eu não feri o estatuto, simplesmente estou trabalhando. Entenderam que, por eu estar trabalhando com outro deputado, podiam me expulsar. Não existe um fundamento, fui expulso irregularmente. Depois de uma década, de eu ter feito tanto pelo partido, depois da saída do Zé Maria, que foi o fundador do PSDB, deu pra perceber que a situação não ia caminhar bem”, afirmou o ex-vereador.

Juca afirmou que antes mesmo das eleições recebeu convites de outros partidos, mas por pedido do deputado estadual Cauê Macris (PSDB), permaneceu na legenda. Agora, ele disse que continuará trabalhando com Chico e analisando possibilidades de filiação no ano que vem, já que não há eleições em 2017. “Vou continuar minha trajetória sem partido, porque não temos eleição neste ano. Vamos ver os projetos, os partidos e ver o que fazer”, disse Juca.