Em S.Bárbara, receita com multas sobe 56% no semestre

Valor ultrapassou os R$ 2 milhões nos seis primeiros meses e prefeitura diz que o resultado é reflexo de uma cultura mais “abusiva” dos motoristas


O valor arrecadado pela Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste com multas cresceu 56% no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2016. O valor ultrapassou os R$ 2 milhões nos seis primeiros meses e já chegou aos R$ 1,1 milhão somadas somente as infrações cometidas em julho e agosto. O crescimento foi impulsionado principalmente pela caneta dos agentes da Guarda Municipal. No período analisado foram distribuídas 1,1 mil infrações a mais entre janeiro e junho deste ano pelas equipes de trânsito, totalizando quase oito mil infrações anotadas.

Apesar do grande aumento, a prefeitura garante que o resultado é reflexo de uma cultura mais “abusiva” dos motoristas no trânsito e do reajuste nos valores das multas autorizado pelo Conselho Nacional de Trânsito, em novembro. Por telefone, a assessoria de imprensa do Executivo informou que não houve troca das equipes de trânsito e nenhuma orientação para enrijecer a fiscalização, pelo contrário. “Quando assumiu, em 2013, o prefeito Denis Andia (PV) pediu a suspensão do uso dos dois radares móveis na cidade porque ele entende que os motoristas não devem ser penalizados sem aviso, como pegadinha”,
defendeu a assessoria.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Recém-instalado, radar na Avenida Santa Bárbara ainda não funciona

Estáveis, as multas por radar fixo e lombadas eletrônicas somam quase 10,8 mil ocorrências nos dois semestres avaliados. De acordo com a prefeitura, os equipamentos estão localizados nas avenidas Santa Bárbara, Prefeito Isaías Romano, Bandeirantes, Mogi Guaçu e Alfredo Contatto. Na Avenida Santa Bárbara as lombadas eletrônicas foram removidas nas últimas semanas. Nos últimos dois meses, no entanto, julho e agosto, mais de 5,8 mil multas já foram aplicadas através de radares.

A discussão sobre o aumento no número de multas e o uso das infrações como forma de arrecadação foi centro de uma polêmica esta semana. Nas redes sociais, um motorista anônimo gravou o trajeto pela Avenida Corifeu de Azevedo Marques, onde um radar fixo está em período de testes. Ainda sem placas orientando a fiscalização, o motorista reclama alegando “má-fé” do Executivo e também denuncia a presença de guardas municipais em ruas que mudaram de sentido. A| prefeitura esclareceu que o radar ainda não está em funcionamento.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter