Rota de fuga no pedágio causa queixas a moradores da P. Azul

Retirada dos obstáculos faz com que caminhoneiros passem pelas ruas do bairro e escapem da cobrança na Anhangüera


A remoção de redutores de velocidade na Rua dos Brilhantes – via que começa ao lado da Churrascaria Apaloosa e dá acesso a uma região tomada por chácaras de recreio – se transformou em um verdadeiro pesadelo para os moradores da Praia Azul, em Americana. O estradão poeirento começou a ser usado como rota de fuga para caminhões, que deixam a Via Anhangüera antes da praça do pedágio, no quilômetro 118, em Nova Odessa, e trafegam pelas ruas do bairro antes de voltar à rodovia.

Foto: Marcelo Rocha - O Liberal
Com a remoção dos obstáculos muitos caminhões transitam por dentro do bairro ao sair da Anhangüera

As barreiras de concreto que existiam no ponto reduziam a largura do trecho trafegável. Só carros podiam passar pelo local. Mas os próprios moradores dos bairros rurais da região solicitaram a desobstrução da passagem. Os motoristas alegavam que corriam o risco de ser assaltados quando reduziam a velocidade para contornar os obstáculos. Atender ao pedido, no entanto, causou um mal-estar tremendo entre a Prefeitura de Nova Odessa e CCR AutoBAn, que administra a rodovia.

Ainda no ano passado, o governo do prefeito Benjamin Bill Vieira de Souza (PSDB) pediu à concessionária a remoção das barreiras, mas a solicitação foi negada. E o motivo não foi apenas a queda de arrecadação do pedágio. À época, segundo a concessionária, a prefeitura foi alertada sobre os riscos provocados pela retirada do dispositivo: o sistema viário municipal seria usado pelo tráfego de características rodoviárias. Também foram citados os transtornos causados aos moradores do trecho.

Mas Nova Odessa, por contra própria, removeu os limitadores. “Destacamos que já foi solicitado, à prefeitura, a reimplantação do dispositivo limitador do tráfego, o que até agora não foi feito”, informa a nota da concessionária.

ALTERNATIVA. A Prefeitura de Nova Odessa admite que fez a retirada dos obstáculos e sabe dos transtornos causados aos moradores. Diante do quadro, o governo Bill planeja abrir uma nova via de acesso, mais curta, dos moradores do Pós-Anhangüera à região central da cidade.

A “solução conjunta” – que aposta na ajuda da CCR AutoBAn – seria ligar os bairros rurais ao trevo que dá acesso à cidade, no km 119 da Anhangüera. A prefeitura, no caso, assumiria os custos das desapropriações necessárias. O acesso à Rua dos Brilhantes será fechado futuramente.

QUEIXAS. Enquanto a concessionária e Prefeitura de Nova Odessa negociam uma solução quem vive nos bairros rurais e na Praia Azul sofrem com o tráfego diário de caminhões. Os piores horários são logo pela manhã e no final da tarde.

“Todos por aqui sempre reclamaram da falta de manutenção da estrada. Quando chove é uma lama. Quando está seco, ninguém aguenta a poeira. Com a remoção dos obstáculos, os caminhões fogem do pedágio e a situação piorou”, fala José Carlos da Costa, que há 12 anos mora no bairro rural Las Palmas.

Nadir dos Santos, que mora há seis anos em uma chácara da Rua Rio Camanducaia diz que o povo sofre demais. “As crianças que brincam na rua estão em perigo”, diz.

A situação, segundo o morador, fica ainda pior no limite entre os dois municípios, no início da americanense Rua Guilherme Schmidt. É um trecho de aclive. Os caminhoneiros aceleram forte para subir o morro, e a poeira que levanta esconde a paisagem.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter