Quadrilha é presa por sequestro e cárcere privado em Rio Claro

Suspeito de estuprar duas crianças, morador de Americana seria julgado pelo 'tribunal do crime' do PCC; detidos moram na RPT


Três homens e uma mulher, moradores de Americana e Santa Bárbara d´Oeste, foram presos por sequestro e cárcere privado nesta terça-feira (18), em Rio Claro. A quadrilha foi flagrada com um desempregado, também morador do município americanense, que seria julgado pelo ‘tribunal do crime’ do PCC (Primeiro Comando da Capital) por ser suspeito de ter estuprado duas crianças no dia 1º de abril deste ano.

De acordo com o boletim de ocorrência, policiais militares estavam em patrulhamento pelo Parque Mãe Preta, região do bairro Jardim Vila Bela, em Rio Claro, quando avistaram dois veículos, um Honda Civic e uma Tucson, em atitudes suspeitas e resolveram abordar os ocupantes.

Dentro dos veículos estavam A.R.B, de 27 anos, que mora no bairro Cidade Jardim, em Americana, e três moradores de Santa Bárbara: T.F.A., de 30 anos, que reside no Santa Rita, E.A.C.F., de 25 anos, que mora no Jardim Pérola, e uma mulher, J.C.D.G., de 37 anos, moradora no Planalto do Sol. Em poder da quadrilha, estava o desempregado Y.G.Q.S., de 24 anos, residente no Jardim dos Lírios, em Americana.

Foto: Reprodução Google Maps
Policiais militares estavam em patrulhamento pelo Parque Mãe Preta, região do bairro Jardim Vila Bela, em Rio Claro, quando avistaram dois veículos

Segundo a ocorrência policial, Y.G.Q.S. contou que tinha sido sequestrado pelo grupo por volta das 20h30 de segunda-feira e levado para uma chácara em Santa Bárbara, onde teria sido torturado pela quadrilha durante toda a noite. Y.G.Q.S. é suspeito de ter estuprado duas meninas no dia 1º deste mês. Um boletim de ocorrência de estupro de vulnerável contra Y. foi registrado no último dia 11 na CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Americana. As responsáveis por duas meninas relataram que as filhas foram até a casa do desempregado, no dia 1º, onde foram brincar com outra criança, irmã de Y. Entretanto, o rapaz teria levado as crianças até o quarto, onde colocou funk e pediu para as menores tocarem seu órgão genital. Em outras ocasiões, o homem chegou a passar o dedo na vagina das meninas.

Sendo assim, sob o comando do PCC, a quadrilha levou o suspeito para Rio Claro, na manhã de terça-feira, onde ele seria julgado pelo ‘tribunal do crime’ da facção. O julgamento seria realizado por um homem chamado de ‘Peba’, morador do bairro Parque Mãe Preta, porém, a PM realizou a abordagem dos carros no momento em que a vítima estava sendo levada para ser julgada.

A quadrilha foi conduzida para a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Rio Claro, onde foi interrogada e autuada em flagrante pelos crimes de sequestro e cárcere privado.