Pastor de Santa Bárbara é encontrado morto em Campinas

Márcio Roberto Batista, de 45 anos, estava desaparecido há cerca de três meses; corpo foi achado na casa dele e família suspeita de infarto


Um pastor de Santa Bárbara d’Oeste foi encontrado morto, nesta sexta-feira (22), na casa dele, na Vila Vitória, em Campinas. Márcio Roberto Batista, de 45 anos, frequentava a Igreja Pentecostal Chama Viva de Jesus, no Cidade Nova 2, há 13 anos. Ele morava sozinho e estava desaparecido há aproximadamente três meses. A suspeita da família é de que Batista tenha sofrido um infarto.

Foto: TV Rede Tudo Campinas
Corpo do pastor foi encontrado nesta sexta-feira

O corpo do pastor foi achado na sala, em estado avançado de decomposição. Amigos dele estranharam seu sumiço e procuraram por parentes, que acreditavam que Batista teria ido para Minas Gerais. O único filho da vítima foi quem abriu e entrou na casa. Segundo pessoas próximas dele, o pastor não tinha irmãos e morava, sozinho, há cerca de dez anos. Ele era considerado uma pessoa reservada e que mantinha pouco contato com a família.

De acordo com o jornalista e advogado Marildo Gomes, conhecido da vítima, Batista costumava passar na casa de sua mãe quase todos os dias para tomar café e conversar. “Minha mãe mora na mesma rua dele. Quase todos os dias ele passava na casa dela e de repente sumiu. Procurei pelo filho dele por um mês e meio e hoje [sexta-feira] o acompanhei até o local onde morava. Abrimos a porta e o encontramos morto na sala”, declarou.

O caso foi registrado no 5ºDP (Distrito Policial) de Campinas como encontro de cadáver. A notícia da morte do pastor foi recebida com muita tristeza pela missionária e amiga Silvana Rosa de Brito, da Igreja Pentecostal Chama Viva de Jesus, na Avenida São Paulo, no Cidade Nova 2, em Santa Bárbara.

“Ele era uma pessoa muito querida, muito boa, que nunca, antes, havia nos deixado preocupados. Procuramos por ele em todos os lugares possíveis e chegamos a pensar em arrombar sua casa. Estávamos desesperados por notícias”, afirmou.

Silvana disse que o pastor foi visto pela última vez há mais de três meses. “Chegamos a falar com vizinhos dele, mas ninguém sabia de nada. Disseram que havia uma luz acesa e que até queimou. O celular só dava caixa postal. Ele era muito reservado. A gente sempre falava para ele vir morar em Santa Bárbara, era muito querido”, lamentou.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter