Na região, etanol chega ao menor patamar de 2017

Preço do etanol chegou a R$ 2,08 na Região do Polo Têxtil e se tornou mais vantajoso que a gasolina, cujo menor preço na região é de R$ 3,09


O preço do etanol chegou a R$ 2,08 na região, o menor patamar desde o início do ano. O combustível da cana-de-açúcar ficou mais vantajoso do que a gasolina, cujo preço mínimo do litro é de R$ 3,09, segundo levantamento da ANP (Agência Nacional de Petróleo). A safra da cana teve início entre o final de março e início de abril, derrubando o preço de custo.

Segundo levantamento semanal da ANP, na pesquisa realizada entre os dias 30 de abril e 6 de maio, o preço mínimo do etanol era de R$ 2,32. Na pesquisa da semana seguinte ele caiu para R$ 2,09 e, esta semana, a reportagem encontrou o combustível sendo comercializado a R$ 2,08 em Americana. O maior preço pesquisado pela ANP foi R$ 2,29.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Preço do etanol chegou a R$ 2,08 na região e combustível passou a ser mais vantajoso que a gasolina

No ano passado, o menor valor alcançado pelo combustível foi de R$ 1,89, também em maio. Segundo o diretor-técnico da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), Antonio de Padua Rodrigues, o preço no produtor não deve cair mais, já que o atual patamar está abaixo do necessário para cobrir os custos, e acaba impondo prejuízos.

“O preço que o produtor está vendendo este ano é o mesmo que vendia a essa época no ano passado, o valor na bomba não ficou igual porque a distribuição ou a revenda aumentou a margem de lucro”.

De acordo com o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) da USP (Universidade de São Paulo), o valor do etanol hidratado ficou R$ 1,33 na primeira semana de maio do ano passado. Na última cotação, em 12 de maio deste ano, o preço é de R$ 1,41 na cidade de São Paulo.

O Levantamento semanal da Unica apontou uma queda na produção de cana-de-açúcar.

“No acumulado da safra 2017/2018, a moagem totalizou 41,71 milhões de toneladas, retração de 39,70% no comparativo com igual período do último ano, quando o total processado somou 69,17 milhões de toneladas. Observa-se, portanto, um atraso de quase 30 milhões de toneladas na cana-de-açúcar moída entre ambas as safras”, trouxe o informativo, que apontou como razão um atraso de na moagem e diminuição na área colhida.

Desleal

O proprietário de um posto de combustíveis de Americana que preferiu não se identificar reclamou da concorrência desleal na cidade. Ele contou que para buscar um preço mais competitivo, foi necessário cortar o número de funcionários – de cinco para três – e diminuir os custos o máximo possível.

Ele apontou a presença de irregularidades para diminuição do preço na bomba e, também, de postos que trabalham sem margem de lucro.